A astronomia é a ciência que estuda o fenômeno dos solstícios. Essa ciência existe há cerca de 4 mil anos antes de cristo e veio para nos explicar diversos acontecimentos que ocorrem pelo planeta e um deles é o solstício de verão.Solstício de verão é o nome dado pelos astrônomos para o momento exato que começa a valer o horário de verão.

O horário de verão consiste na mudança de horário com dia, mês, hora e segundo marcado, tudo isso de acordo com cálculos astronômicos.

Pois esse é um fenômeno da astrologia que indica o instante que a terra estará inclinada cerca de 23,5º na direção do sol, por isso é adiantado uma hora no relógio, devido o dia começar mais cedo por conta de mais raios solares.

Então, não é correto você dizer “entramos no solstício” e sim “passamos pelo solstício” pois não indica um período.

solsticios de verão

Imagem mostrando a diferente localização do sol, dependendo da data do ano.

Além de que a palavra solstício possui origem latina e significa “o ponto onde a trajetória do sol aparenta não se deslocar” ou “sol parado”.

O que se pode observar é que pelos dias serem mais longos, por conseguinte a noite será mais curta devido a iluminação dos raios emitidos pelo sol.

Esse fenômeno ocorre também graças a rotação e translação do planeta Terra, já que o sol acaba por não distribuir de forma igual os seus raios pelos dois hemisférios, ou seja, quando um hemisfério recebe maior luminosidade o outro hemisfério não recebe.

solsticios de verão

mapa mostrando as diferentes posições do sol

SOLSTÍCIO DE VERÃO PRESENTE NO HEMISFÉRIO SUL

No momento em que o hemisfério sul está passando pelo solstício de verão (início do horário de verão), no hemisfério norte está acontecendo outro fenômeno nomeado de solstício de inverno.

Como dia acima; os hemisférios vivem momentos distintos.

O solstício de inverno é o contrário do solstício de verão, nesse caso a noite será mais longa que o dia.

Com base nos cálculos astronômicos, em geral o solstício de verão ocorre pelo mês de dezembro ou pelo mês de novembro. Essa explicação é com base na radiação solar que fica de forma vertical sobre o trópico de capricórnio.

Lembrando sempre que o Brasil é um país localizado no hemisfério sul, portanto, se esse fenômeno ocorrer em nosso país, na Europa estará acontecendo o solstício de inverno, devido ser um país localizado no hemisfério norte.

Olhando pelo globo terrestre o hemisfério sul é localizado na sua metade inferior.

Já as regiões que ficam localizados mais próximas da linha do equador não apresentam grandes variações em relação a duração do dia e da noite.

A exemplo do Brasil é fácil perceber que quando o solstício de verão está acontecendo, os Estados do sul e sudeste apresentam evidentes mudança, mas já os Estados do Norte e Nordeste quase não percebem nada.

Então, no período do solstício de verão os dias se tornam mais longos e apresentam o maior número de horas exposto ao sol. Essa quantidade de sol que a região recebe é nomeada por insolação.

Analisando novamente o Brasil, na região do centro-sul é pouco perceptível o fenômeno por causa da latitude (distância em relação a linha do equador).

DATA E ESTAÇÕES DO ANO

Depois de analisar tudo isso acima é possível perceber que a astronomia é a ciência que define a da das estações do ano. Levando sempre em conta o horário e o dia exato do início da estação com muito tempo de antecedência do seu evento.

Todo esse estudo é feito por um astrônomo e não meteorologista. Não se confundam.

No caso dos meteorologistas, eles analisam as mudanças do tempo de um dia para outro, de uma semana para a outra e assim por diante. Sempre analisando quais foram as variações climáticas de uma determinada estação para outra.

Mas o seu estudo não leva em conta os cálculos astronômicos, já que não existe uma regra para o clima. O frio mais intenso não necessariamente precisa ocorrer no auge do inverno e o mesmo vale para o calor no verão.

Voltando as estações do ano, elas existem por causa da inclinação que o planeta terra apresenta no seu eixo central. O eixo inclina em um ângulo formando 23,5º em direção a linha do plano do sol.

Durante o fenômeno, se a região ficar localizada o mais longe da linha do equador, maior será a sua exposição ao sol.

O sistema inverte para o solstício de inverno; mais longe da linha do equador, menor a sua exposição ao sol

Observando um mapa é possível saber qual cidade apresentará mais horas de sol em relação a outra de acordo com a sua localização geográfica.