Aranha Tarântula – Características, hábitos e perigo.

As tarântulas (família Theraphosidae), também conhecidas como caranguejeiras, são aranhas com o corpo revestido de cerdas e pernas alongadas com duas garras nas extremidades.

Você já viu que algumas pessoas têm tarântulas como animais de estimação? Curioso, não? Isso acontece porque, apesar de assustadoras, elas não contém toxinas perigosas para o homem.

Características gerais da tarântula

Considerada uma aranha de grande porte, diferente da Marrom por exemplo, as tarântulas podem chegar até os trinta centímetros de comprimento e possuem características físicas de coloração diversificadas entre suas espécies.

Ela é a maior aranha do mundo, tanto em tamanho do seu corpo, quando em peso, elas podem chegar a 28 centímetros e 175 gramas.

Elas possuem um ciclo de vida longo e com a ocorrência de ecdise (processo de troca de exoesqueleto) e podem ser encontradas em vários continentes, como: africano, americano, asiático e algumas porções do Oriente Médio.

O modo de defesa mais comum é quando se sente ameaçada, atirar pequenos fios de cabelo do corpo, que irritam imediatamente a pele do seu agressor, principalmente se afetar os olhos, nariz ou boca. Sendo principalmente perigoso em locais mais perigosos, como as membranas da boca e nariz.

Outro fato curioso é que elas são azuis quando pequenas, ficando marrom apenas quando se tornam adultas.

Hábitos de vida

São animais noturnos que costumam viver sozinhos, sem muito cuidado parental. Assim que os filhotes saem da toca, já vivem de maneira isolada e independente.

Suas tocas ficam localizadas em buracos no chão revestidos com suas teias, próximas de pedras e raízes.

 Goliath birdeater

Assim como todas as aranhas elas possuem um visão terrível, compensando este defeito com uma habilidade de sentir as vibrações na terra. Quando elas sentem alguma movimentação, atacam a vitima com o seu veneno.

Alimentação

São carnívoras e preferem ingerir pequenos insetos, como besouros e grilos, mas podem comer também lagartos, ratos e sapos menores. Uma espécie descoberta recentemente no Sri Lanka é tão grande (vinte centímetros) que pode consumir até pássaros.

Sua digestão pode ocorrer externamente, pela liberação de enzimas digestivas diretamente sobre a presa. Elas também podem revestir os animais com seda para que eles não fujam e ela possa agir mais tranquilamente em sua refeição.

Como possuem reservas energéticas potentes, podem passar vários dias sem se alimentar. Além disso, as espécies podem realizar canibalismo.

Reprodução

O acasalamento entre macho e fêmea gera mais de dezenas de ovos, que dão origem a filhotes independentes.

O ritual de acasalamento em si pode ser fatal para o macho, que pode ser devorado pela fêmea. Eles normalmente morrem após alguns meses após o acasalamento, após terem cumprido sua função biológica.

A fêmea coloca entra 50 a 200 ovos em sua teia, enrolando toda ela em uma bola e a carregando para todos os lugares. Uma características única entre todos da espécie.

Comportamento

Não existem razões para temê-las. Elas são tão inofensivas que preferem se esconder ou “fingem de mortas” ao invés de atacar. Quando realizam algum tipo de ataque, seu veneno é tão impotente que chega a ser menos dolorido do que uma picada de abelha (que não é nada sério).

Diferente das Aranha armadeira, são animais lentos e cuidadosos, quando se sentem ameaçadas ou para se defender de predadores, elas possuem pelos urticantes (que arde e queimam) em suas costas e abdômen, agredindo a pele do animal.

As espécies mais calmas costumam ser as mais indicadas para domesticação enquanto que algumas podem ser tão agressivas que fica difícil até mesmo sua manipulação em cativeiro.

Se você for atacado por uma aranha tarântula, procure imediatamente ajuda médica. Não tente se auto-medicar.

Veja este guia do Ministério da Saúde.

tarantula

Ecologia

Essas aranhas são carnívoras, estando mais no topo da cadeia alimentar, assim, são responsáveis pelo controle de pragas agrícolas importantes, pois se alimentam de insetos como grilos e besouros que causam grandes danos à plantações de interesse comercial.

Também contribuem para o equilíbrio da natureza por meio da produção de suas sedas. Tais estruturas são coletadas por passarinhos como os beija-flores para construção de ninhos, gerando uma simbiose entre os animais.

Seus predadores mais perigosos são as vespas da família Pompilidae (vespas-caçadoras). Tais animais paralisam as aranhas com veneno tóxico potente e depois suas larvas se alimentam do interior da tarântula, onde são depositados os ovos do predador.

De uma forma geral, como todos os outros animais e insetos, elas são bastante importantes para o ecossistema em que vivem. Então caso se depare com uma, não a mate, apenas a remova para outro local seguro, com bastante cuidado.

Espécies exóticas:

Existem centenas de espécies de caranguejeiras, mas algumas chamam atenção por sua peculiaridade. Vamos conferir três exemplares pra lá de exóticos?

  1. Cobalt Blue (Haplopelma lividum)

Sua coloração azul metálica é surpreendente e a faz única. É uma espécie asiática mais agressiva que pode chegar até os treze centímetros, não sendo indicada para reprodução em cativeiro.

  1. Tarântula de dedos rosa – Toe Pink (Avicularia avicularia)

Essas aranhas caribenhas costumam ser bem pequenas e o que mais chama a atenção é que são bicolores e muito lindas! Elas têm o corpo marrom e os pés rosados e vão invertendo as cores à medida que envelhecem.

  1. Caranguejeira do joelho vermelho Mexicana – Mexican red knee (Brachypelma smith)

É a tarântula mais utilizada como animal de estimação em todo o mundo. Sua beleza impecável e temperamento não agressivo a fazem única e a mais cobiçada por entusiastas.

Curiosidades sobre a tarântula

Você sabia que…

  1. Existe contrabando de tarântulas?

Há todo um mercado ilegal envolvendo esses bichinhos. Elas são contrabandeadas para virarem peças de exibição ou serem vendidas como animais domésticos.

Algumas pessoas se dispõem a pagar centenas de dólares para terem uma aranha de estimação em sua própria casa.

  1. Elas podem ajudar a entender melhor a epilepsia?

Estudos indicam que moléculas presentes em seu veneno podem auxiliar a entender melhor sobre a epilepsia e outras doenças.

  1. As fêmeas vivem muito mais que os machos?

A estimativa de vida dos machos é de cerca de sete anos, enquanto que as fêmeas podem viver por até três décadas.

  1. Além de viverem mais, as fêmeas são maiores?

Diferentemente do normal da espécies, as fêmeas se apresentam em tamanho maior do que o macho.

  1. Elas adoram ambientes úmidos?

Algumas espécies vivem até nos pântanos e adoram umidade.

 

You might also like

Leave A Reply

Your email address will not be published.