A perigosa Cobra Coral

A cobra coral verdadeira é bastante famosa por sua coloração característica de anéis: pretos, vermelhos e brancos (ou amarelos).

Corresponde a uma diversidade de espécies diferentes, incluindo a famosa Micrurus lemniscatus.

Por ser uma das cobras mais venenosas de todo o Brasil, quem é que não se assusta só de imaginá-la?

Leia o artigo até o fim e saiba tudo sobre este perigoso animal, que é bastante encontrado no nosso país.

Onde podemos encontrá-las?

Seu habitat natural se dá nas regiões do cerrado brasileiro, em matas das regiões sudeste e sul do país.

Também podem ser encontradas em países vizinhos como Uruguai, Paraguai e outras regiões do continente americano, como nos Estados Unidos, apesar de serem bem menos em comparação ao Brasil.

Também não é encontrada no Chile nem no Canadá.

Elas normalmente vivem a maior parte do seu tempo enterradas, tanto debaixo da areia quanto escondida em folhas, tornando muito difícil encontrar uma ao aberto.

Quando encontrada em espaços abertos, se dá majoritariamente por causa do desmatamento do seu habitat.

Características da cobra coral

No Brasil temos mais de 32 espécies de cobra coral, uma das mais comum é a Micrurus lemniscatus,

Como características físicas podemos citar seus famosos anéis ao longo do corpo coberto por escamas, olhos pequenos, cabeça achatada em forma de triângulo, cauda curta e fina.

Porém, devido a anomalias genéticas, algumas podem nascer completamente vermelhas, albinas (brancas) ou pretas (melânicas).

Hábitos de vida

Seu comportamento costuma ser noturno e crepuscular, vivem adaptadas à folhagens, buracos, embaixo de pedras e em galhos de árvores em decomposição, com hábitos fossoriais – vivendo geralmente escondidas.

Apesar de serem perigosas, não costumam ser agressivas e só atacam quando se sentem ameaçadas.

Alimentação

Diferente da Taturana, as corais costumam ser carnívoras, se alimentando de outras cobras, serpentes, lagartos e anfíbios, répteis e peixes em geral.

O National Geographic já reportou que elas comem sapos e até outras cobras.

Reprodução

É um animal ovíparo que coloca vários ovos por vez (entre seis e sete) e seu período de incubação costuma ser de 60 dias.

O nascimento dos filhotes, que geralmente nascem dos ovos apenas dois ou três. sempre se dá no início da estação chuvosa.

Os filhotes já nascem com 17 centímetros e com total capacidade venenosa, sendo tão perigosos quanto a mãe.

Veneno

É uma cobra peçonhenta (venenosa) com toxina forte e de ação rápida. Seu veneno neurotóxico atinge o sistema nervoso e cardiovascular da vítima e costuma ser tão potente que ela pertence a mesma família das temidas e poderosas Najas e Mambas (Elapidae), sendo classificada como uma serpente de pequeno porte.

Dentre os sintomas mais comuns pela inoculação do veneno, temos: decaimento das pálpebras, problemas respiratórios, visão turva ou dupla e dormência.

É considerada uma das mais perigosas do Brasil, podendo levar à óbito caso a pessoa não receba auxílio médico rapidamente. Tal auxílio envolve a aplicação de soro antielapídico.

Por isso tome todos os cuidados necessários ao encontrar uma deste e procure ajuda especializada.

Coral verdadeira x Coral falsa

Sua coloração chamativa indica perigo, sendo comum em predadores,  afastando animais próximos. Por essa vantagem evolutiva, uma outra espécie conhecida como falsa-coral (Atractus latifrons) copiou a cor da coral-verdadeira para afugentar predadores – tal fenômeno é conhecido como mimetismo.

A similaridade visual entre os espécimes é absurda, graças ao mimetismo da cobra falsa (que não é tão venenosa).

Por isso, não é nada fácil diferenciar a espécie verdadeira da falsa e apenas uma pessoa muito experiente no assunto é capaz de caracterizá-las a distância.

Nunca tente chegar perto para descobrir se é a falsa ou a verdadeira. Para sua segurança sempre assuma que é a verdadeira e tome todas as precações possíveis.

A maneira mais exata de diferenciá-las é através dos dentes: a coral-verdadeira apresenta dentição proteróglifa, que corresponde a dois dentes inoculadores de peçonha na parte anterior do maxilar, representando maior perigo para o ser humano e suas outras presas.

Já a coral-falsa é opistóglifa ou áglifa, possuindo seus dentes na parte posterior do maxilar ou sem aparelho inoculador de peçonha, sendo muito mais inofensiva e não tão peçonhenta.

Leia também: Teiú Caxinguelê: Afinal, esse lagarto pode ser domesticado?

5 Dicas para se prevenir de picadas de cobra coral

Para quem gosta de se aventurar e acampar em meio à mata é importante saber se prevenir de tais picadas. Vamos conferir as dicas?

  • Quando ver uma cobra, deixe-a quieta e desvie do caminho dela. As corais não costumam atacar a menos que se sintam ameaçadas.
  • Use calçados fechados e calças compridas.
  • Olhe sempre dentro dos seus calçados antes de vesti-los.
  • Cuidado quando for se apoiar em árvores ou em outros locais em que elas possam estar.
  • Nunca deixe sua barraca aberta e garanta que o local sempre esteja bem limpo antes de montá-las.

picado por cobra

O que fazer se for picado por uma cobra coral?

Em casos de picada, imediatamente deve-se procurar auxílio médico.

Procure imediatamente o posto de atendimento mais perto e reporte que foi picado por uma cobra. Não tente tratar da picada sozinho.

Mas existem alguns primeiros socorros que devem ser levados em consideração:

  • Lavar o local da picada apenas com ingredientes neutros, como: água, sabão ou soro fisiológico;
  • Mantenha o paciente hidratado (tomando pequenos goles de água) e bastante calmo, isso evita que o veneno se espalhe rapidamente pelo sistema circulatório;
  • Evite a locomoção da vítima, impedindo que ela realize qualquer tipo de esforço físico;
  • Se possível, leve sempre o animal para identificação (morto ou vivo). Ou pelo menos filme ou fotografe, pois é importante identificar bem o animal para que o serviço médico possa aplicar o soro adequado para tratamento de acordo com a peçonha de cada cobra. Não fala isso se for correr risco desnecessário.
  • É extremamente proibido: fazer a sucção do veneno, torniquete, cortar o local da picada, colocar contaminantes na ferida (café ou folhas), tomar bebidas alcóolicas para acalmar ou administrar qualquer tipo de medicamento à vítima.

Curiosidades sobre a cobra coral

Você sabia que…

Ela gosta muito de confundir seus predadores?

Quando se sente ameaçada, ela movimenta a ponta da cauda rapidamente para que pensem que é sua cabeça.

Foi descoberta uma nova espécie de cobra coral recentemente?

A Micrurus potyguara foi descoberta na região da Mata Atlântica em uma floresta urbana da Paraíba. Ela pode chegar até um metro e vinte centímetros de comprimento e se alimenta de “cobras-duas-cabeças”.

Ela também possui predadores?

Apesar de ser muito perigosa, pode ser predada por uma serpente americana conhecida como “mocasim” e pelo próprio guaxinim.

Os venenos das cobras podem ser benéficos para algumas doenças?

Estudos recentes indicam o potencial dos venenos como cura para alguns tipos de câncer.

 

You might also like

Leave A Reply

Your email address will not be published.