O que é glândula pineal?

 

O corpo humano provavelmente é um dos sistemas mais complexos existentes no mundo, nós mesmos, não entendemos exatamente como funcionamos e do que somos compostos.

Graças ao avanço da ciência, cada vez mais, estamos mais cientes do que acontece no nosso corpo sem percebermos.

 A glândula pineal tem outros nomes e também pode ser chamada por Conarium, epífise cerebral ou basicamente pineal, ela tem este nome por ter formato similar a de uma pinha e é um glândula endócrina localizada na parte central de nosso cérebro, chamada de hipotálamo, parte que fica entre as duas metades do tálamo.

Ele pode ser encontrada em qualquer ser vertebrado, como uma glândula endócrina, ela produz um hormônio, no caso, a melatonina (derivado da serotonina), é um hormônio responsável por regular padrões de sono, principalmente nos ciclos circadianos e sazonais.

Dentre tudo, nosso cérebro é o nosso órgão mais importante e também o mais desconhecido do mundo, ele é responsável por tudo que acontece e é o central do ser.

Vamos falar um pouco sobre um parte pequena da nossa cabeça chamada de Glândula Pineal, para que ela serve, onde fica e todas essas informações sobre esse órgão muito importante
.

Para que serve a glândula pineal?

Durante muitos anos, a glândula pineal foi considerada apenas um órgão vestigial, isto é, que durante a evolução humana perdeu sua utilidade.

Porém, com o avanço da tecnologia e das pesquisas sobre nosso cérebro, foi descoberto uma grande quantidade do hormônio da melatonina sendo despejado e produzido pela glândula pineal, portanto se conclui que a pineal era a responsável por produzir tal hormônio.

A melatonina é produzida através de estímulos, o principal é a escuridão. Isto porque a glândula pineal é de certa forma conectada com os olhos, quando a retina para de detectar luz, ela avisa a glândula, a escuridão é um aviso que é hora de dormir.

Mas as glândulas pineais tem outras funções durante o desenvolvimento humano, ela tem papel fundamental durante o desenvolvimento sexual, no metabolismo e também nas fases de procriação sazonal, no caso dos animais.

Existe pesquisadores e cientistas que afirmam que a glândula pineal é na verdade, um fotorreceptor atrofiado, e reforçam aquela teoria antiga sobre ser um órgão vestigial, porém confirmam que ele tem sua função real.

Essa teoria é reforçada por conta que em anfíbios e répteis esta glândula ainda tem suas propriedades fotorreceptoras. Essa teoria abre portas para outras que serão citadas posteriormente.

Nos humanos, na fase inicial da vida, na infância, a glândula pineal é grande, é um dos motivos da grande quantidade de horas que uma criança dorme e também os altos níveis de melatonina inibe o desenvolvimento sexual prematuro.

Ela começa a diminuir durante a puberdade.

Como citado anteriormente, a glândula pineal está presente em basicamente todos os vertebrados no mundo, mas para tudo se existe uma exceção, os peixes-bruxa não possuem tal estrutura, mas tem outra que substitui a função, é chamada de dorso diencéfalo.

Resumindo, a glândula pineal é um órgão serve primordialmente para a ajudar a produção de melanina, mas também tem outras funções, principalmente no desenvolvimento do corpo humano.

cérebro humano

O que são as glândulas endócrinas?

As glândulas endócrinas são responsáveis por todo sistema endócrino, que é responsável por criar e jogar no sangue certos hormônios que servem para diversos processos dentro do corpo como produção de hormônios sexuais, que controlam sensações e sensações.

As glândulas endócrinas mais populares são:

  • Tireoide
  • Pâncreas
  • Ovários
  • Testículos
  • Glândula pineal
  • Hipófise e Paratireoide.

Drogas e a glândula pineal

Pesquisas, que ainda estão em processo inicial, apenas usando cobaias não-humanas, afirmam que o uso de drogas como a cocaína, mesma na menor quantidade, tem um reflexo direto na glândula, faz com que ela produza uma quantidade muito menor hormônio do que o natural e acaba desregulando todo um organismo.

O uso de antidepressivos também afeta essa área, porém, ela aumenta a produção, que também não é positivo para o corpo humano.

Relembrando que essas informações ainda estão na fase inicial de pesquisas e comprovações.

Filosofia e a glândula pineal

Por mais incrível que pareça, existem pesquisas de filósofos afirmam que a glândula pineal é um órgão muito além do que apenas uma glândula de hormônios do sono.

E essa relação vai muito longe, tem haver com religiosidade e também vida após a morte.

Desde de René Descartes, no século XVII, a glândula pineal tem sido considerada um ponto de união, fundamental, entre o corpo e alma. Isto é, glândula pineal seria um órgão de funções transcendentes.

Descartes ajustou o método metafísico de alma a partir da posição anatômica pineal, criando a partir disso, uma dualidade entre corpo e alma.

A teoria de Descartes não é aceita pela ciência atual, que tem visão monística sobre o homem.

Como se não fosse o suficiente, no fim do século dezenove, a fundadora da teosofia, Madame Blavatski, relacionou a glândula pineal ao conceito hindu de terceiro olho, essa teoria ainda é bastante aceita no meio religioso hinduista

Essa hipótese de Madame Blavatski, pode até justificar alguns fenômenos paranormais de clarividência, telepatia e mediunidade, isto porque, no livro de Chico Xavier, missionários da luz, a epífise é descrita como glândula da vida espiritual e mental, um órgão que elevaria o corpo à alma e onde presidem os estímulos nervosos.

O livro fala de diversos outros conceitos que são muito aprofundados na questão científica da glândula pineal.

Em 2013, cientistas brasileiros estudaram o livro psicografado por Chico Xavier e concluíram que no ano que o livro foi escrito, não existia nenhuma base científica para alguns itens citados no livro, mas que agora, mais recentemente muita coisa de lá foi comprovada.

Entretanto, os fatos relacionados à vida após morte e também a tal ligação de corpo e alma não pode ser comprovada através da ciência.

Portanto, podemos concluir que a glândula pineal, sendo ou não comprovado todos esses “poderes” superiores atribuídas a ela, é uma parte fundamental para nosso corpo, a qual nem notamos a presença, sem ela, teríamos um sono desregulado e uma bagunça completa em nossos hormônios.

É muito complexo como cada parte de nosso corpo e dos corpos dos animais são especificamente projetada para a vida ideal.

You might also like

Leave A Reply

Your email address will not be published.