Água viva

água viva

Águas vivas são seres marinhos de beleza inquestionável, suas cores e sua forma são únicas, a diversidade de espécies é enorme, são mais de 1000 com formatos e cores diferentes.

Porém toda sua beleza tem são equivalente ao perigo que ela pode trazer, águas vivas são muito venenosas e podem ferir seres humanos gravemente.

Nesse guia completo sobre águas vivas iremos esclarecer todos os pontos e trazer algumas curiosidades sobre esses seres aquáticos bem diferentes

O que é uma água viva?

São animais marinhos que também podem ser chamadas de medusas, elas não tem tamanho padrão, possuem tentáculos venenosos e vivem principalmente na água salgada (mar) com algumas exceções que podem ser encontradas em rios.

Seu deslocamento é feito a partir somente das correntes das águas, elas não têm força completa para usar como guia.

A reprodução da água viva é feita de forma assexuada, ela pertence ao filo Cnidaria.

Elas se alimentam de microplânctons encontrados no oceano. Se ela ficar fora da água, ela morre porque é composta quase exclusivamente de água.

jellyfish

Do que são feitas águas vivas?

  • São formada cerca de 98% por água.
  • Elas não têm ossos, cérebro e nem coração.
  • Seus tentáculos são sensoriais e responsáveis por capturar seu alimento
  • Os tentáculos também são responsáveis por injetar veneno que causa a queimadura.

Podem viver em aquários?

Por conta da sua beleza, a água viva pode ser uma grande atração em aquários.

Elas têm vida relativamente curta fora do seu habitat natural marinho. Para ter água viva em um aquário você precisa capturá-la ainda quando pólipo, a fase inicial da vida dela a qual não tem tentáculos ainda, porque quando adultas elas podem ferir e também podem se ferir sozinhas na hora da captura e acabar morrendo.

Um aquário para água vivas deve ser equipado com algum fluxo de água para criar corrente e movimento, já que esses animais não se movimentam sozinho.

Tem alto custo de manutenção porém é um item muito raro e bonito para decorações elaboradas.

animais marinhos exóticos

Águas vivas são venenosas?

A característica principal da água viva e o motivo dela ser conhecida e lembrada é sem dúvida seu veneno, toda a parte de tentáculos das águas vivas são cheios de células urticantes, isto é, que são dotadas de veneno, que funciona como defesa de predadores.

Quanto maior o tamanho da água viva, maior a quantidade de em seus tentáculos e eles também são capazes em penetrar mais fundo na vítima.

Quando ela entra em contato com qualquer coisa viva, as células ativam como uma gatilho e elas lançam um tipo de micro “espinhos” que transferem uma grande quantidade de veneno, esse veneno pode ferir e até matar peixes e outros animais marinhos, existem muitos casos de ferimentos de água viva em humanos.

Tenha bastante cuidado com elas, pois podem causar queimaduras sérias nos seres humanos.

Veneno em humanos

Durante o verão, a época de praia, é muito comuns ficamos sabendo de casos de pessoas que foram queimadas por águas vivas, alguns anos mais do que outros, isto tem haver com as correntes marinhas.

Uma curiosidade inverno os mares brasileiros têm mais águas vivas que no verão. Mas afinal o que o veneno da água viva causa nas pessoas?

  • Queimadura
  • Muita dor
  • Calafrios
  • Acelera o coração
  • Cãibras nos músculos
  • Febre
  • Irritações na pele
Em geral, os ferimentos causados por água viva não são fatais para humanos, porém dependendo do caso, se forem muitas queimaduras a vítima pode ter um ataque cardíaco e outras complicações muito graves, como a necrose (morte de parte do corpo).

Como tratar ferimentos causados por água viva?

Imediatamente busque ajuda no posto de salva vidas, eles tem treinamento para que o ferimento seja tratado da melhor forma possível.

Mas na falta de pessoas qualificadas para o tratamento algumas dicas são:

  • Lavar o local com água do mar, sem esfregar.
  • Não tente limpar com toalhas ou qualquer outro material, só lave.
  • Não leve com água doce, vai piorar o efeito do veneno.
  • Use vinagre comum para aliviar a dor (ácido acético 5%), use durante 30 minutos e vai inativar o local da queimadura.
  • Use bolsa de água gelada para aliviar a dorTUdveneno

Como evitar águas vivas?

O mar é habitat natural delas, então, não podemos fazer nada além de tomar muito cuidado ao entrarmos no mar.

No período da tarde a probabilidade de incidência de água viva é maior. Geralmente postos de salva-vida observam as correntes marinhas e sabem quanto o mar estar mais propício para a presença desses animais marinhos.

Mas é sem dúvidas, muito importante, olhar por onde você nada, principalmente na presença de crianças, porque o ferimento em crianças pode ser muito mais grave.

Em alguns casos, a água viva é levada para a areia, tome cuidado quando caminha na praia ou quando seu filho brinca na beira do mar, elas têm vida curta fora da água mas mesmo assim são perigosas.

Lembre-se todas as águas vivas são venenosas, não existe espécie que não tenha o veneno, então em hipótese alguma arrisque.

Quais são seus predadores?

Parando de falar de humanos nesse guia completo sobre água viva, é bom comentar os predadores que comem águas vivas na natureza, que são poucos, a maioria das águas vivas morrem naturalmente.

  • Tartarugas-cabeçudas
  • Peixe-Lua
  • Peixe-Enxada

Em alguns países, como no Japão e China, ele se alimentam de água viva, sendo um prato totalmente cultural, já que a taxa calórica e nutricional da água viva é próxima do zero.

Elas são um problema ambiental?

Para o ser humano, como foi citado anteriormente, ela causam apenas queimaduras (algumas até mesmo graves).

Mas alguns países da Europa, o japão e a Austrália consideram a água viva um problema ambiental, porque em grandes quantidades, as águas-vivas provocam estragos nas indústrias pesqueiras, furam redes de pesca e dizimam populações de peixe.

A expansão da água viva pode ter como motivação, a diminuição de predadores por conta da presença humana e o lixo nos mares.

Independente disto, elas merecem ser protegidas.

Os aumentos exagerados na população de água viva são chamados por cientistas de florescências. No Brasil, não enfrentamos este problema apesar do nosso grande litoral.

 

 

 

Ana Fernandes

Curitibense, apaixonada por animais, tutora do Theo e defensora ativa da natureza. Criou o Grupo de Proteção Ambiental Brasil - GPA como forma de compartilhar suas informações com o mundo.
Ana Fernandes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *