Quati: principais características e curiosidades

O Quati é um mamífero, sua espécie é da mesma família do guaxinim e em características físicas eles também acabam sendo semelhantes. Com uma calda longa e nariz comprido, ele é um animal muito diferente.

De comprimento, o quati pode atingir até pouco mais de um metro e o seu peso é próximo a 4 quilos.

A presença do quati está em praticamente toda a América. Portanto, é possível encontrar quatis tanto nos Estados Unidos quanto na Argentina. Eles estão espalhados por todo o continente e habitam em vários países, inclusive aqui no Brasil.

Normalmente, o quati anda em grupo de vinte e cinco e é bastante selvagem. E é fácil encontra-los em árvores, brincando entre si. Durante a noite, eles dormem nos galhos e, durante o dia, vão em busca de alimentos.

No Brasil, não é muito encontrar quatis, porém eles existem. Normalmente despertam curiosidade, especialmente por não ser um animal muito conhecido.

Então, para esclarecer algumas dúvidas, vamos fazer uma lista de suas principais características e curiosidades.

A alimentação do quati

O quati é um animal que come praticamente de tudo. Desde frutas até pequenos animais, como insetos e minhocas. Pode se alimentar até de animais como ratos, lagartos e aves.

Assim como o gambá, os quatis podem fazer uma grande bagunça. Com seu nariz comprido, ele revira tudo que encontra pela sua frente. Abre caixas, tampas e pode fazer uma grande sujeira, especialmente quando identifica algo que pode se tornar um alimento.

Além disso, é preciso tomar cuidado caso você esteja próximo de um. Embora eles não apresentem um perigo na maior parte das vezes, eles podem levar embora seus pertences, como bolsas e sacolas.

É um animal que tem um olfato muito apurado, que o guia pelos lugares em busca de alimentos.

informações sobre quati

Reprodução do quati

A gestação dura em torno de dois meses e é comum a fêmea ficar afastada do seu grupo durante todo esse tempo. Então, os filhotes serão acomodados pela fêmea em um ninho, em alguma árvore.

Por cada gestação é possível que um quati tenha de dois até, no máximo, seis filhotes. Os filhotes apenas abrem os olhos pela primeira após pouco mais de uma semana.

Ele apenas atinge a idade adulta com 15 meses, mas somente alcança a maturidade sexual quando completa 2 anos.

Leia também tudo sobre a calopsita.

O quati e o ser humano

Muitas pessoas não sabem como funciona a interação do ser humano com o quati. E é comum sentir medo, apesar da curiosidade, para se aproximar do animal.

Mas, na verdade, o quati não apresenta um perigo real para o ser humano. Eles, até mesmo se aproximam das pessoas quando se sentem seguros.

Ao fazer um passeio em parques, quatis podem se aproximar facilmente das pessoas. Ou em busca de alimentos, ou em busca de um pouco de atenção.

Por andar sempre em grupo, é fácil conseguir identificar sua presença, já que não são animais muito silenciosos quando estão em conjunto.

as caracteristicas do quati

Ele pode ser um animal de estimação?

Por ser um animal diferente, muitas pessoas têm o desejo de adotar o quati como um animal de estimação. Entretanto, isso não é aconselhável.

O habitat desses animais é na natureza, com árvores e a companhia de outros de sua espécie. Nesses ambientes, onde eles se encontram livres, eles não apresentam um perigo para o ser humano.

Entretanto, ao adota-lo como um animal de estimação, o deixando preso, é provável que ele fique irritado e agressivo, podendo morder e arranhar!

Ele tem mecanismos de defesa, com uma mandíbula e garras que podem machucar muito uma pessoa.

Além disso, os quatis também podem transmitir raiva, uma das doenças mais perigosas do mundo!

Portanto, não. Ele não é uma opção válida para animal de estimação. E, mesmo no ar livre, você deve tomar cuidado ao se aproximar dele. Sendo assim, permita que o animal se sinta seguro e venha até você.

Algumas pessoas acham o quati um animal muito fofo. Outras, já morrem de medo e acreditam que ele é extremamente perigoso.

Realmente ele pode ser muito agressivo, especialmente no que se refere a perigos de sua alimentação. Porém, em seu próprio habitat o quati não se configura nenhuma ameaça.

Por isso, não busque fazer dele um animal de estimação e, se encontrar com um, tenha cuidado!

E aí, você já conhecia o quati? Já viu algum pessoalmente? Conta aqui nos comentários! Aproveita e compartilha esse artigo com outras pessoas para que elas possam também conhecer esse animal tão exótico.

9 comentários em “Quati: principais características e curiosidades”

    • Aqui na Floresta da Tijuca vemos sempre aos bandos. Hj um deles chegou bem.pertinho de mim. Aproveitei para registrar a aproximação,mas sem toca-los ou alimenta-los. Engraçado foi ver os bichinhos correndo das crianças que correram atrás deles. kkkkkk

      Responder
  1. Aquino meu condominio ( que é de preservação ambiental) tem de montes, bandos de 20 p Mais. Eles n são dóceis não, já atacaram cachorro aqui e fez estrago no rosto do coitadinho. Alimento vários gatos que ficam no mato e um deles teve metade do rosto arrancado..morro de medo deles. Agora dão de querer vir pegar a ração dos gatos, fico apreensiva q eles ataquem a gatinha q mora aqui na churrasqueira, ela dorme na caminha em cima da mesa.

    Responder
  2. No meu condomínio existem muitos quatis ,realmente fazem muita bagunça nas latas de luxos e já atacaram cachorros e galinhas,meu condomínio é em Itaipava Petropolis

    Responder
  3. Sou suspeita ao falar sobre animais. Adoro! Principalmente, os silvestres. Sempre que ia ao interior frequentava uma loja de animais exóticos na Castelo Branco. Eles tinham um quati. Como conhecia o pessoal da loja, pude pegá-lo no colo. Foi paixão à primeira vista. Imediatamente, o animalzinho se acomodou no meu colo e me tascou uma ‘lanbeijoca’. O animal, literalmente, sente o cheiro de quem gosta dele. Com os ferrets não foi diferente. Tive dois e consegui adestrá-los. A veterinária deles dizia que eu era ‘encantadora de ferrets’, porque eles ficaram extremamente dóceis e aprendendiam tudo que eu lhes ensinava. Mustelídeos tais como os quati e o ferret são extremamente inteligentes. O animal caçador tem uma percepção muito rápida das situações, pessoas e sobre outros animais, independentemente das mensagens emitidas pelos feronômios. Eles captam, inclusive, as vibrações energéticas que o ser humano emite conforme seu estado de humor, conseguem perceber se o dono está alegre, triste, ou mesmo, doente. No meu caso em particular, por diversas vêzes percebi que animais de diversas espécies interagiram positivamente comigo, logo de primeira, sem mesmo me conhecerem. É como se eles ‘dissessem’ : Ela gosta de nós. É confiável. Perto dela estamos seguros. Dentro de um lar ou de um criatório, o animal escolhe seu tutor, que nem sempre é o proprietário ou ou veterinário. O silvestre, como é caçador e tem uma personalidade mais forte, é mais difícil de adestrar, porque ele faz o que quer, quando quer, para quem ele quer, se achar que deve. Quando a convivência entre animal é o humano é positiva e gratificante, é a de que quando ele vê seu tutor, parece que ele viu Deus, tamanha é a sensação de segurança, alegria e bem-estar. O animal não tem somente o fator dependência, estabelecido pelo manejo e alimentação, segundo conceitos dos veterinários de antigamente, e como muita ainda gente pensa. Este conceito está mudando, para nâo dizer superado. O animal também tem afetividade, sim! Ele só não vocaliza como nós humanos.

    Responder

Deixe um comentário