Os cactos são bastante requisitados por serem plantas de cultivo simples e não demandam de manutenções frequentes, além disso, decoram bem e modificam positivamente qualquer cômodo oferecendo diversas opções quando se fala em ornamentação.

Possui 142 gêneros e 1793 espécies registradas que apresentam diferentes formatos e tamanhos e alguns possuem utilidades culinárias e medicinais. Geralmente são de crescimento lento e quase não precisam de água.

Podem ser cultivados em casas ou apartamentos já que se adaptam a vasos de diferentes tamanhos.

Nesse artigo, nós do GPA Brasil vamos te apresentar alguns cactos que florescem naturalmente e irão contribuir diretamente na beleza da sua casa.

Coroa de frade

foto do cacto  coroa de  frade
Cephas, CC BY-SA 3.0 https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0, via Wikimedia Commons

Nome científico: melocactus Zehntneri

Também conhecido como cabeça-de-frade, é uma espécie de suculenta bastante atrativa e que foge do convencional. O nome foi dado devido à estética que apresenta na fase adulta, sobre a parte com espinhos, surge outra parte vermelha que parece uma coroa sobre a cabeça.

É uma planta de pequeno porte, pois, cresce até apenas 12 centímetros de altura. Possui formato arredondado e repleta de espinhos. Apresenta coloração verde enquanto esses espinhos são acinzentados.

Se desenvolve bem em localidades de climas desérticos e semiárido, devido ao seu habitat de origem. Então gosta muito de regiões quentes e com pouca incidência de chuva.

As flores aparecem no topo e geralmente são na cor rosa ou avermelhadas. Essa categoria de cacto é utilizada para fabricação de doces, além disso, também é aproveitada no alívio de problemas relacionados à saúde como dificuldades renais e intestinais.

A coroa de frade gosta de solo bem drenado, ou seja, que possibilite o escoamento eficaz da água seja de regas ou de chuvas. E como é espécie desértica, o ideal é que tenha areia misturada ao substrato.

As regas devem não ser frequentes e você nunca deve encharcar o solo. O substrato deve ficar seco antes de receber a próxima rega, e, em estações mais frias a frequência deve ser reduzida. 1 vez na semana será suficiente.

Gosta de ambientes quentes e bem ventilados, é bastante resistente a ventanias, tolera estiagens longas e geadas. Não é necessário podar.

Opuntia violacea

foto do cacto roxo
Peter A. Mansfeld, CC BY 3.0 https://creativecommons.org/licenses/by/3.0, via Wikimedia Commons

Nome científico: Opuntia gosseliniana

Também conhecida como perola violeta ou simplesmente como cacto roxo, é uma das espécies mais exóticas da família, de forma alguma vai passar despercebido e vai fornecer cor e autenticidade ao ambiente.

É também uma espécie de pequeno porte e de crescimento lento. Foge totalmente do que os brasileiros estão acostumados a ver em cactos graças a sua coloração roxa ou rosa escuro que foi o motivo da nomenclatura.

É nativa da América do Norte e da América Central, está presente em regiões como Condado de Pima, Arizona, Baja na Califórnia, Chihuahua e Sonora. Localidades que apresentam climas sub-desértico, árido tropical e mediterrâneo.

As flores são amarelas e dão um contraste visualmente majestoso para a planta, fazendo com que fique ainda mais bela.

As regas devem ocorrer no máximo 1 vez por semana em estações mais quentes como primavera e verão, nas estações mais frias diminua a frequência com espaçamento de 15 dias. Sempre verifique se o solo está seco antes de molhar novamente.

O solo deve ser bem drenado e conter pedras no fundo do vaso, se essa for sua forma de cultivo. Isso vai facilitar a saída da água e evitar que acumule em alguns pontos do substrato.

Utilize adubo orgânico e siga todas as recomendações da embalagem para ser bem aproveitado pela sua planta. Cultive em sol pleno e mantenha em ambientes bem ventilados.

É uma espécie exclusiva de uso ornamental, no Brasil dificilmente é comercializada, mas pode ser adquirida em lojas online.

Almofada de espinhos

foto do cacto almofada de espinhos
Leonora Enking de West Sussex, Inglaterra, CC BY-SA 2.0, via Wikimedia Commons

Nome científico: mammillaria (gênero)

Também conhecida como cacto globo, cacto mamilo, cacto bolo de aniversário, cacto dedal, cacto anzol e cacto almofada de alfinetes, é um gênero que se divide em 172 espécies.

É uma espécie de pequeno porte e de formato arredondado, seus espinhos são organizados como se tivessem sido colocados manualmente o que lembra uma almofada de alfinetes.

É nativo da América Central, precisamente do México, mas, algumas espécies podem ser encontradas em outras regiões como os Estados Unidos, Caribe, Colômbia, Venezuela, Guatemala e Honduras nas regiões mais quentes e secas.

As flores podem rosa, amarelas ou vermelhas e costumam aparecer na parte superior da planta que ainda tem partes felpudas e brancas parecidas com os mamilos humanos. Além disso, é uma planta frutífera, mas, seus frutos não são comestíveis.

O solo deve ter bem drenado, coloque pedras no fundo do vaso para que a água não acumule no substrato pedras podem ser britas, cascalhos ou algo semelhante.

A rega deve ocorrer em torno de 1 vez por semana, sempre verifique se o solo está seco antes de molhar, você pode se certificar disso colocando o dedo ou espetando um palito na terra. E muito cuidado para não encharcar o solo!

O ambiente ideal deve ser bem iluminado e bem ventilado, essa espécie tolera ventanias, já que não possui folhas extensas e geadas. Deve ser colocada em local quente e com muita luz do sol.

O adubo deve ser orgânico e deverá ser trocado conforme as recomendações da embalagem. Não precisa ser muito rico ou se tornará informação demais para a planta.

Cacto macarrão

foto do cacto macarrão
Meneerke bloem, CC BY-SA 3.0 https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0, via Wikimedia Commons

Nome científico: Rhipsakis cereuscula

Se você está procurando uma planta cheia de charme, originalidade e que o c seja simples e prático esse cacto é ideal para você. Esse gênero se divide em 35 espécies e tem uma estrutura bem distinta dos outros da família.

É nativo da América Central, América do Sul e Caribe e ao contrário da maioria dos cactos, se desenvolve em florestas e não em ambientes secos e de altas temperaturas.

Florestas, em sua maioria, são ambientes úmidos e é disso que o cacto macarrão precisa. Isso possibilita que você decore banheiros e cozinhas, já que são os cômodos da casa que contém maior índice de umidade.

O nome popular é devido à aparência, o caule é ramificado e não possuo nenhum espinho, quase idêntico ao macarrão spaghetti, dificilmente suas visitas vão identificar que seja um cacto.

Além de todas essas características únicas, é muito fácil de cuidar e oferece diversidade na hora da decoração e não oferece perigo para animais e crianças. As flores são amarelas e quando brotam, logo se destacam.

A umidade não se estende ao processo de regas, devem ser molhadas 2 vezes por semana de forma que não encharque o solo para evitar que as raízes apodreçam.

O solo deve ser bem drenado, ou seja, permitir o escoamento eficaz da água proveniente das regas ou da chuva.

Se desenvolve bem se cultivado em meia sombra, desse que o ambiente tenha ventilação. Para que floresça, deve ficar em local bem iluminado e sol pleno e é normal que o tom de verde dos ramos fique mais claro.

O substrato deve ser bem solto e bem nutritivo. Você pose colocar o vaso suspenso na parede ou em outras árvores.

Cacto pêra

foto do cacto pêra
Zeynel Cebeci, CC BY-SA 4.0 https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0, via Wikimedia Commons

Nome científico: Opuntia ficus-indica

Também conhecido como tabaibeira, figueira-do-diabo, figueira-da-índia, piteira, tuna, figueira-tuna, figueira-palmeira e pera-espinhosa, é uma espécie que os frutos ficam organizados como se enfeitassem uma cabeça, possui aparência convencional e é de cultivo simples.

É nativa da região que se estende do norte do México ao sudoeste dos Estados Unidos, sempre presente em locais de clima desértico.

Seu fruto possui diversas utilidades medicinais como aumentar a imunidade, fortalecer os dentes, auxilia o processo de digestão, evita problemas cardíacos, atua como anticâncer, antioxidante e anti-inflamatórios.

É uma espécie de pequeno porte resistentes a ventanias, extensos períodos de seca e geadas. As flores são amarelas e possuem um pequeno caule robusto.

As regas devem ocorrer sempre que o solo estiver seco e a quantidade de água que deve ser utilizada vai variar conforme o tamanho da planta. Não encharque o solo e aposte sempre em vasos que contenham furos embaixo.

 Regue 1 vez na semana em estações quentes, nas frias como inverno e outono, aumente o espaçamento entre essas regas.

O solo deve ser bem drenado e até um pouco arenoso, misture areia no substrato, vai agradar à espécie e vai fazer com que a terra fique solta. O adubo deve ser orgânico rico em vitamina A e ferro.

É importante cultivar em sol pleno e locais frescos com boa circulação de ar que deixem o ambiente bem ventilado.

Cacto cory

foto do cacto cory
ecos de pedra from Abrantes, Portugal, CC BY-SA 2.0, via Wikimedia Commons

Nome científico: Coryphantha Ramillosa

Essa espécie é comercializada por um preço mais alto que as demais por ser uma espécie rara nativa dos Estados Unidos e do México. É considerada uma espécie em extinção, entretanto não possui propagação complicada.

É uma planta de pequeno porte, pois, cresce até 10 centímetros de altura, por isso, pode ser colocado em recipientes pequenos e não ocupam muito espaço e ainda assim atingir seu potencial máximo.

São perfeitos para cultivo em apartamentos flores costumam brotar no verão com cor rosa ou roxa e podem aparecer no topo da planta um por vez devido ao espaço.

Possuem formato redondo inicialmente e cilíndrico após crescido e espinhos pequenos que parecem flores diferentes.

As regas devem ser feitas em torno de 1 vez por semana, sempre esperando o solo secar para que a próxima seja efetuada. Tenha sempre cuidado para não encharcar o solo, isso pode adoecer a planta.

O solo deve ser bem drenado, misture areia ao substrato para ficar mais solto, isso auxiliará na drenagem. Antes de depositar o substrato, coloque uma camada de pedras para que o escoamento água seja ainda mais efetivo. Essa espécie também gosta de ser cultivada em calcário.

O ambiente deve ser bem ventilado, iluminado e com forte presença de luz solar, ou seja, deve ser cultivado em sol pleno. É bastante resistente e exige cuidados simples, não precisa de muita atenção.

Flor de maio

ffoto do cacto flor de maio
Silvestresbrasileiros, Public domain, via Wikimedia Commons

Nome científico: Schlumbergera truncata

Por último apresentamos a você mais um cacto de estrutura diferente que oferece para a decoração bela e requintada graças a sua estrutura exótica em relação a outras espécies dessa vasta família.

Também conhecida como cacto de natal, cacto de páscoa e flor-de-seda, flor-de-maio é uma espécie nativa do Brasil que pode ser encontradas em regiões como Serra do Mar e Serra dos Órgãos.

Essa planta é de pequeno porte, pois, cresce até 30 centímetros de altura. Seu nome foi dado, pois, suas flores brotam no outono, especificamente no mês de maio e apresenta coloração rosa, branca, laranja ou vermelha.

Não é um cacto que cresce apenas na vertical, em determinado momento, seu caule fica caído, deixando a planta robusta na horizontal, ou seja, para os lados.

As regas devem ser espaçadas e a frequência vai depender do tempo que o solo levará para secar. Você nunca deverá encharcar a planta, fique atento (a). Mas o recomendado é que ocorra 1 vez na semana.

O solo deve ser bem drenado, auxiliando diretamente no escoamento eficiente da água que virá das suas regas ou de chuvas. A dica das britas e cascalhos no fundo do vaso também é favorável para essa espécie.

O ambiente precisa ter boa iluminação, sol pleno e ventilação para florescer. O adubo deve ser específico para cactos, siga as instruções da embalagem.

Pragas comuns

  • Uma das pragas muito comuns nos cactos são as chamadas minhocas de terra, são bastante complicadas de identificar, pois, atacam diretamente nas raízes.
  • Essas minhocas atacam principalmente as plantas colocadas diretamente na terra, sem vasos. Desconfie quando seu cacto começar a apodrecer sem motivo nenhum aparente.
  • Os ácaros também podem se tornar um problema principalmente por serem difíceis de identificar, pois, são impossíveis de ver a olho nu. Um sinal da presença desses bichos é o surgimento de manchas avermelhadas no cacto.
  • As cochonilhas também são insetos que podem destruir sua planta, a aparência lembra um cascudo preto bem pequeno. Ou, você perceberá a presença de um pó branco.
  • Os pulgões também são pragas comuns nos cactos, são insetos pretos ou avermelhados que parecem piolhos.
  • Os pulgões e cochonilhas costumam deixar “feridas” na planta que servem como porta de entrada para vírus, bactérias e fungos. Fique atento (a) aos sinais de apodrecimento da planta.
  • O surgimento dessas pragas também indica que o solo está pobre, então melhore o substrato da planta para ficar mais resistente.

Em dos cactos comercializados, as flores são colocadas pelos vendedores, retire para permitir que a ferida cicatrize.

Confira nosso artigo completo sobre como cuidar de cactos e eliminar pragas.

Esse artigo ajudou você a decidir qual cacto comprar? Converse conosco através doa comentários.

Foto em destaque: Leonora Enking de West Sussex, Inglaterra, CC BY-SA 2.0, via Wikimedia Commons

IMPORTANTE: O conteúdo deste artigo foi atualizado em 03-11-2021 pela equipe do GPA Brasil. O Artigo acima ou qualquer conteúdo do site tem função apenas informativa e deve ser utilizada sempre com atenção.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *