Plantas são perfeitas para decorar o ambiente, sejam  eles fixos e temporários, seja ele uma sala, o quarto, um salão de festas, casamento, aniversário, etc.

E essa variedade de situações, eventos e lugares onde é possível usá-las ocorre graças ao fato de a flora ser muito vasta e conter diversas espécies com tamanhos, cores e aromas diferentes.

Existem espécies mais adequadas para serem cultivadas ao ar livre, nos quintais ou varandas. Outras são perfeitas para serem cultivadas em apartamentos, por exemplo.

Há inúmeras possibilidades para ornamentação e também para você poder presentear, plantas com significados são ótimas para essa proposta.

Além de serem usadas na decoração, as plantas também são alimento e para cultivar ervas que serão utilizadas para temperos, por exemplo, também é importante que você saiba como.

Mas, como você já sabe, plantas são seres vivos e precisam de certos cuidados para crescerem bem e saudáveis.

Cuidados com o solo, com o ambiente, com a frequência das regas, algumas precisam ser podadas e com outras é preciso redobrar o cuidado se na sua casa morar também algum animal de estimação, pois, algumas espécies podem ser venenosas para cães e gatos.

Nesse artigo, nós do GPA Brasil separamos algumas ficas importantes para que sua planta continue bonita durante o ano todo.

Pesquise sobre a espécie

mãos em cima de um computador indicando pesquisa

O primeiro passo você já está seguindo. Pesquisar sobre a espécie da planta é muito importante para saber como deve ser o processo e a rotina de cuidados.

Uma boa ideia para recriar o ambiente ideal para a sobrevivência da planta é saber quais os locais mais comuns de encontrá-las, assim, você terá noção do clima, se é um lugar seco ou chuvoso, se a planta gosta de luz direta ou indireta.

Isso também vai ajudar a entender o processo de regas e o que pode ou não fazer. Plantas com folhas aveludadas, por exemplo, não suporta que borrife água porque ficam com aspecto de queimadas.

Outro fator importante é saber como deixar o solo, como adubar, como tornar a drenagem da terra mais eficiente, como lidar com pragas, etc.

Nos tópicos a seguir, vamos te explicar melhor sobre cada tema.

Saiba como regar

Com a pesquisa, você vai encontrar de como sua planta gosta de ser regada. Algumas espécies precisam de mais água e outras, de menor quantidade e com frequência mais espaçada.

Muitas plantas não se dão bem com borrifadores de água, geralmente as que tem folhas aveludadas. A maioria pessoas comete o erro de pensar que dessa forma conseguirá amenizar o calor, mas, acaba danificando as folhas.

Outra informação importante sobre as regas é que as plantas que não precisam de muita água não gostam de ser regadas um pouquinho por dia os dias. Não pense que assim, a estará ajudando.

Esse também é um erro comum, mas, vegetais com essa característica geralmente armazenam água já que são naturais de clima seco e com pouca ocorrência de chuvas.

Não ultrapasse o recomendado e nem molhe pouco. Molhar mais que a planta precisa pode apodrecer a raiz ou “afogá-la”, enquanto molhar de menos ressecam as folhas e pode matá-la.

O ideal é que a água esteja em temperatura ambiente para “combinar”, com a temperatura da planta e não causar choque térmico.

Algumas plantas precisam ser regadas com mais frequência durante determinada estação do ano. Geralmente precisam de uma maior quantidade água no verão já que o calor faz o líquido evaporar mais rápido e de menor quantidade no inverno.

Um aviso que está sempre presente em nossos artigos sobre plantas é o cuidado com os pratos que ficam embaixo dos vasos, se você esquecer de retirar a água que acumula, pode se transformar em um local perfeito para que a fêmea do mosquito-da-dengue deposite ovos.

Entenda também que algumas espécies gostam que o solo esteja sempre úmido. Já com outras, o correto é que a terra seque para ser regada novamente.

Além das estações do ano, outro aspecto climático que deve ser considerado é a temperatura do cômodo, caso a planta esteja no interior da casa. Se estiver muito calor, a água evapora mais rápido e deve ser logo resposta.

Um único dia pode apresentar “climas” diferentes, hoje pode ter amanhecido com temperaturas altas e muito calor, mas, o ambiente pode estar mais frio após o pôr-do-sol.

Esse fator também deve ser levado em consideração, pois, os melhores horários para regar a planta são no início do dia e no final já que geralmente são os momentos que a temperatura está média.

O que queremos dizer é: você pode colocar uma determinada quantidade de água de manhã quando estiver calor, mas, se ao anoitecer estiver mais frio, você deverá diminuir a quantidade.

O Dani também dá umas dicas incríveis:

Saiba o lugar ideal para colocar a planta

terra na palma da mão com folhas por cima

É muito importante saber qual o local que a planta vai ficar. No primeiro momento reflita se será uma planta para casa ou apartamento. Após essa reflexão escolha a espécie e verifique se existe um lugar na sua residência, que seja adequado para o cultivo.

Mesmo que sejam cultivadas em quintais, não são todas as plantas que se adaptam. Algumas são trepadeiras na natureza, então, sobreviverão melhor próximas de outras árvores.

Lembre-se de que não são todas as trepadeiras que matam seu hospedeiro, e informe com pesquisar ou com o vendedor.

Entender a estrutura da espécie escolhida é algo muito valioso nesse momento, assim, será fácil saber se são suscetíveis a “queimar” se ficarem muito expostas ao sol.

Algumas espécies não se dão bem com luz direta, então devem ser colocadas em locais com meia sombra, sejam esses, sua varanda ou na sombra de outras plantas.

O gerânio, por exemplo, gosta de muita luz, mas, se receber em excesso, pode murchar e morrer. O local adequado para essa espécie é algum que tenha bastante iluminação, mas, como as folhas são finas e sensíveis não é recomendado que fique exposta a muita luz direta do sol.

Outras plantas, como a Cattleya Walkeriana é comum ser encontrada em lugares altos então amam ficar em suporte suspensos. Isso além de agradar a planta dá um aspecto diferente e charmoso na decoração.

O solo onde a planta será colocada deve ter boa drenagem, apenas plantas aquáticas são favorecidas por solo encharcados, para espécies terrestres, pode favorecer o surgimento e a proliferação de fungos e bactérias ou causar o apodrecimento da raiz

Para facilitar a drenagem, utilize vasos com furos na parte inferior e quando organizar o recipiente, com a terra e o adubo, aposte na utilização de britas e cascalhos para criar um filtro natural.

Dessa forma a água vai escorrer muito mais rápido e não vai acumular em nenhum local.

No decorrer do tempo de crescimento da planta, troque os vasos e replante-as em recipientes maiores para terem espaço suficiente para a estrutura. Tenha cuidado nesse processo para não danificar o caule ou as raízes.

Saiba também se a sua planta gosta de mais ou menos ventilação, esse fator pode influenciar bastante no desenvolvimento. Mas saiba que ventanias ou vento em excesso nunca é bom.

O coentro, por exemplo, gosta do ambiente com muita ventilação e se desenvolve saudável com luz direta do sol sem queimar as folhas e aprecia solo com boa drenagem.

Já a samambaia, espécie muito popular para decoração, prefere ambientes com sombra, entretanto, gosta de clima quente e úmido. Isso ocorre, pois, são originais de florestas tropicais.

Essa espécie também não precisa de adubo muito elaborado, pois, estão preparadas para seu ambiente de origem apresenta solo pobre. Gostam de bastante água já que as florestas tropicais apresentam um índice considerável de chuvas anuais

É possível encontrar luzes artificiais para fornecer a iluminação conforme a necessidade da planta, mas, como não são naturais é preciso pesquisar antes sobre a marca e funções do produto.

Entenda como adubar

Os adubos são compostos por nutrientes que auxiliam no crescimento saudável da planta. É como se fossem seu segundo alimento ou o equivalente a vitaminas que consumimos para nos mantermos com boa saúde.

É possível encontrar adubos orgânicos ou inorgânicos, mas, sempre pensando em fornecer à planta o trio NPK que significa utilizar nitrogênio, fósforo e potássio para a espécie.

A função desse composto é recriar, de forma artificial, o hábitat natural das plantas. Na natureza, esses nutrientes estão disponíveis naturalmente no solo e mesmo que seja plantada a partir de sementes no vaso, em seu DNA já estão as características da espécie.

Os adubos inorgânicos estão disponíveis em lojas especializadas nesse tipo de produto. Existem diversas variações disponíveis e já que as plantas distintas podem precisar de compostos diferentes.

Esses adubos são os presentes em grandes plantações, pois, agem mais rápido e consequentemente proporcionam resultados imediatos. Podem ser encontrados no formato de granulado, pastilhas, o concentrado e o spray. Os valores são valores variados.

O concentrado possui esse nome, pois, é o que vem realmente bem forte e você precisará diluir antes de usar.

Os adubos orgânicos são para quem tem paciência para aguardar a espera pelo resultado, pois, como o próprio nome sugere, são bem naturais e o processo para agirem é mais lento.

Existem várias opções de adubos orgânicos, materiais que você normalmente jogaria no lixo podem ganhar uma utilidade como casca de ovos, casca de banana, borra de café e até cinzas de churrasco!

As cascas dos ovos não devem ser colocadas inteiras, pegue um liquidificador e triture-as, depois, coloque a farinha sobre a terra. Se preferir, pode adicionar canela nessa mistura!

A banana também deve ser triturada, mas, ao invés de colocar sobre a terra, você deverá enterrar em volta do caule, não precisa ser muito fundo.

As cinzas de churrasco podem sim, virar adubo para a sua planta, basta coloca-lo por cima do solo, entretanto, existe uma exceção, nunca utilize as cinzas se cair alguma gordura ou sal da carne. Isso pode deixas o solo ácido e ter efeito contrário ao ideal.

E para utilizar a borra do café, basta formar 2/3 (dois terços) do solo dessa borra, ou seja, imagine o vaso dividido em 3 partes, duas dessas partes deverá ser formada pela borra. O café precisará se decompor antes de ser utilizado na planta, então, deixe descansar por uns quatro dias.

Ou você pode utilizar outros que são comercializados, porém, ainda fazem parte desse grupo mais natural como os húmus de minhoca, farinha de ossos e esterco.

Lidando com pragas

É bastante comum surgirem pragas nas plantas, já que, na verdade, esses insetos só estão colocando em prática seus instintos de sobrevivência e se alimentando.

joaninha por cima de uma folha

Mas, o que é um benefício para esses bichos, vai se tornar um enorme inconveniente para sua planta. Algumas pragas são difíceis ou impossíveis de resolver, como vírus e bactérias já que não são vistos a olho nu.

Você pode evitar que sua planta sofra com eles não deixando o solo encharcado. Mas, os insetos, é algo bem mais tranquilo de resolver com produtos naturais ou artificiais que não vão agredir a espécie.

Lesmas e caracóis, por exemplo, surgem em períodos mais frios, durante a noite ou em períodos chuvosos. Para se livrar desses bichos, você pode fazer armadilhas com comidas ou bebidas que eles gostam, como legumes com água (xuxu, por exemplo), leite ou cerveja.

Os bichos vão se acumular para comer ou beber e você pode jogar o recipiente longe com as lesmas.

Além de armadilhas, pode ser criado um ambiente ruim para a locomoção desses caracóis. Como possuem a pele fina e escorregadia, a casca do ovo é perfeita para afastá-los, pois, deixa a terra íngreme.

As cochonilhas são outra categoria de praga muito comum em plantas, geralmente ficam na parte inferior da folha e não são vistas de imediato. Fique sempre checando toda a estrutura para detectá-las

Para combater esse inseto, basta lavar a folha com soluções envolvendo detergente ou vinagre se certificando que todas as cochonilhas foram removidas.

Existem outras pragas como gafanhotos ou joaninhas, mas, só é necessário se preocupar se você tiver abundância de plantas e houver uma infestação.

Sempre deixe as plantas próximas de você ou próximas uma das outras para que você não se esqueça de regar ou de fazer uma inspeção. Fique atento aos sinais como folhas murchas ou amareladas e procure trate imediatamente.

Limpe a poeira das plantas se for o caso, para folhas aveludadas, utilize uma escovinha e seja gentil. Para demais folhas um pano pode ser utilizado ou água ao borrifar.

Bônus:

Gostou do nosso artigo? Converse conosco nos comentários.

IMPORTANTE: O conteúdo deste artigo foi atualizado em 29-09-2021 pela equipe do GPA Brasil. O Artigo acima ou qualquer conteúdo do site tem função apenas informativa e deve ser utilizada sempre com atenção.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *