Cultivar plantas é um caminho sem retorno, um vício saudável que quem começa não consegue mais parar. As plantas são artigos de decoração que se distanciam muito de móveis, não dá nem para comparar.

As cores e formatos existentes abrem um leque de possibilidades que podem reverter o quadro monótono do cômodo que você quer decorar.

Pode parecer mentira, mas acabamos gostando tanto que nos sensibilizamos com a planta. Muitas pessoas amam a estética visual que as presenças desses vegetais deixam no ambiente, mas, não dispõem de tempo para cuidar.

Para os iniciantes o recomendado é começar com espécies que não precisam de muitos cuidados. No artigo a seguir, nós do GPA Brasil, vamos apresentar o cacto, planta de cultivo muito simples e prático.

Confira logo abaixo as características da planta e todos os cuidados necessários para mantê-la saudável.

Informações gerais sobre o cacto

foto do topo de alguns cactos

O cacto é uma planta nativa da América do Norte e da América do Sul, mas, pode ser encontrada em algumas áreas do continente africano. No Brasil, está presente em todas as regiões, e, no Nordeste, faz parte da vegetação característica da caatinga.

Essa família contém 142 gêneros e 1793 espécies catalogadas. São espécies adaptadas a clima quente e seco, ou seja, com pouca incidência de chuvas anuais.

O cacto não possui a costumeira estrutura de caule e folhas separadas e sim algo que mais se assemelha a um ramo grosso e em sua maioria é repleto de espinhos, possuem flores e frutos com muitas sementes no interior.

Além de algumas espécies possuírem frutos comestíveis como a pitaya ou fruto-do-dragão, os cactos têm diversas utilidades como a culinária e produção de cosméticos como. A partir de alguns gêneros é possível fabricar bebidas, geleias e batons.

Ao contrário do que estamos acostumados a pensar, os cactos podem apresentar variações bem distintas da estética típica do Nordeste que conhecemos. Alguns parecem com orquídeas e outros possuem ramificações e caimentos.

São muito próximos da família das suculentas no quesito adaptação, consegue sobreviver sem água por períodos consideráveis graças à sua capacidade de armazenar água devido ao seu habitat.

Se você acreditar nos significados das plantas, o cacto funciona como guardião e significa força, resistência e adaptação, funciona muito bem para presentear alguém que esteja passando por algum momento difícil.

Como dissemos anteriormente, existem diversas espécies disponíveis e separamos algumas para você:

  • Coroa de frade: possui formato cilíndrico, relevos bem marcantes e bastante espinhos, o nome é devido à estética, devido à flor surgir no topo, parece muito com uma cabeça coroada.
  • Mandacaru: essa é a espécie mais conhecida por nós brasileiros e está presente principalmente no Nordeste devido ao clima, são cactos mais altos e com estrutura que lembram braços, possui espinhos, flor amarela e fruto vermelho.
  • Mini cactos: esses podem ser encontrados em diversos tamanhos e formatos, mais redondos ou mais altos, escolhidos por serem delicados e compactos principalmente para o cultivo em apartamentos. Na verdade, possuem esse tamanho mini por serem plantados em vasos pequenos.
  • Almofada de alfinetes: geralmente possuem formato arredondado e o nome foi escolhido por serem menores e consequentemente possuem pouco espaço fazendo com que os espinhos fiquem bastante próximos uns dos outros.
  • Cadeira de sogra: pode ser encontrado em tamanhos variados e possuem flores amarelas que contrastam bem com o verde do restante da estrutura, entretanto, essas flores só começam a brotar após 20 anos de vida da planta.
  • Cacto macarrão: essa espécie é bastante exótica, apesar de fazer parte da família dos cactos, não possui espinhos e esse nome é devido aos ramos que apresenta, com caimentos que lembram muito macarrão.

Como cuidar do cacto

É uma planta muito fácil de cuidar, mas, isso não significa que você deva deixar no canto e não dar a devida atenção. Todo ser vivo requer de cuidados e com a plantas, não difere, ainda que sejam cactos.

Por estarmos acostumados a encontrar na natureza em lugares que parecem bastante negligenciados, fica fácil se confundir. Mas, na natureza, os cactos recebem água da chuva, luz solar e o solo em que estão possui os nutrientes adequados para se manterem saudáveis.

Separamos informações muito importantes para você que quer cultivar alguma espécie dessa família que possui tantas variedades, pois, apesar de apresentar estruturas diferentes, os cuidados não basicamente os mesmos.

foto de cactos

Como regar o cacto

Bom, devido aos lugares de onde são nativos, os cactos, assim como as suculentas, não precisam de regas muito frequentes e sim, bastante espaçadas entre elas.

No verão e na primavera, devido ao calor e forte presença da luz do sol, o recomendado é que você molhe a planta de 1 a duas vezes na semana, no máximo!

Para saber se já é a hora de regar novamente, sinta a terra com o dedo ou espete um palito para ter certeza de que o solo está seco e pronto para receber mais água.

Em épocas mais frias como outono e inverno, que o ambiente fica mais frio e úmido, regas com espaço de 15 dias entre elas, serão o suficiente. Os cactos não gostam de umidade, por isso nessas épocas do ano você não vai precisar molhar muito

Ainda sobre não gostarem de umidade, distribua igualmente a água no solo para que a planta consiga absorver bem por todos os lados, cuidado para não confundir isso com deixar a terra encharcada, isso é extremamente prejudicial para a espécie e pode levar ao apodrecimento das raízes.

Além disso, umidade excessiva pode facilitar o surgimento de fungos, vírus e bactérias que podem ser difíceis ou impossíveis de tratar.

Sempre tenha cuidado se você usar pratos embaixo dos vasos, não deixe a água acumular neles, isso pode fazer com que a terra fique muito molhada e facilita o surgimento do mosquito-da-dengue, uma simples precaução pode evitar o seu adoecimento e da sua família.

Com a maioria das plantas o mais adequado é que as regas sejam feitas ao amanhecer ou ao anoitecer para que o calor do sol não faça a água evaporar mais rápido. Mas, com o cacto, regue de preferência nos momentos em que o sol esteja mais presente.

Como tratar o Solo

Como você já deve saber, os cactos são nativos de ambientes que se assemelham a climas desérticos, é uma planta muito difícil de morrer por falta de água.

Assim como nesses ambientes, o solo ideal para essa espécie deve ter boa drenagem, ou seja, garantir o escoamento eficiente da água que virá da rega.

Para isso ocorrer, é necessário que, caso estejam plantados em vaso, esses recipientes tenham furos na parte inferior da estrutura, fazendo com que a água tenha por onde sair. Isso evita o acúmulo e o encharcamento da terra.

Outra dica é colocar no vaso, com o substrato, uma quantidade de areia ou terra lavada, ou seja, terra que não contenha sal. E a areia vai fazer com que o solo fique bastante próximo do natural.

Para cactos, o melhor é que estejam em vasos feitos de materiais que permitam que a água evapore rápido como cerâmica ou barro.

O fertilizante utilizado é bastante simples e você pode facilmente encontrar em lojas especializadas, sejam elas online ou físicas. Mas o mais adequado é orgânico para que não seja informação demais para a planta.

Você também pode utilizar adubos caseiros como borra de café, casca de banana e cascas de ovos para fornecer os nutrientes necessários para seu cacto. Para saber como usar, confira nosso artigo sobre como cuidar de plantas.

foto de cactos cadeira de sogra

Que Ambiente e luz solar usar

O ambiente adequado deve ser o mais iluminado possível! O cacto ama luz solar. Então não coloque em ambientes escuros ou que ficam muito úmidos como banheiro ou cozinha.

Os cactos são muito resistentes a ventanias, então podem ser cultivadas tranquilamente em jardins externos sem que haja a preocupação de o vento rasgar folhas, por exemplo.

Algumas espécies que você comprar, o vendedor vai recomendar que receba luz do sol por determinada quantidade de horas diariamente, mas, se você for acostumando a planta receba luz durante mais tempo, ela pode acostumar.

Por exemplo, durante essa semana você coloca 4 horas no sol, na próxima, coloca 5 horas. E gradualmente a planta vai se adaptando até conseguir ficar o dia todo no sol, caso seja da sua preferência.

Como os minis cactos são comercializados por menor preço, você pode comprar e, se quiser um cacto maior, basta mudar para um vaso mais espaçoso.

Cactos para Decoração

  • Pelo faro de existirem várias formas e tamanhos disponíveis existem várias possibilidades de decoração que podem abrilhantar ainda mais sua casa ou ambiente de trabalho.
  • Os minis cactos, por exemplo, possuem preços bastante acessíveis sendo encontradas espécies diferentes nessa modalidade, você pode misturar e colocá-los na janela, seja do lado interno ou externo.
  • É possível também colocar no jardim externo, misturado com outras plantas, sejam do mesmo gênero ou não, ou sozinhos de forma que fiquem destacados.
  • Os vasos podem ser colocados em mesas de centro ou em cima da mesa de jantar, há possibilidade de criar uma decoração mais colorida se o cacto estiver florido ou, neutra se estiver sem flor.
  • Em um mesmo vaso, que seja espaçoso, você pode mesclar o cacto com outras espécies que demandem do mesmo cuidado, como suculentas, por exemplo, vai dar um contraste de formas e proporciona maior variedade na decoração.
  • Seus cactos podem ficar em suportes adequados para plantas, em locais mais altos ou mais baixos da sua casa. No painel da TV fica perfeito, pois, não arrisca ramificar e atrapalhar sua visão.
  • Escadas também são uma boa opção e podem ser organizados de acordo com sua criatividade. Uma dica é colocar nos degraus, e forem compridos ou, em suportes acima da escada.

Lidando com as pragas

Uma das pragas muito comuns nos cactos são as chamadas minhocas de terra, são bastante complicadas de identificar, pois, atacam diretamente nas raízes.

Essas minhocas atacam principalmente as plantas colocadas diretamente na terra, sem vasos. Desconfie quando seu cacto começar a apodrecer sem motivo nenhum aparente. Para resolver esse problema, será necessário recorrer a inseticidas adequados.

Outro problema que pode ser resolvido com uso de inseticidas é a presença de ácaros. Esses também são difíceis de identificar, pois, são impossíveis de ver a olho nu. Um sinal da presença desses bichos é o surgimento de manchas avermelhadas no cacto.

As cochonilhas também são insetos que podem destruir sua planta, a aparência lembra um cascudo preto bem pequeno. Ou, você perceberá a presença de um pó branco. Para eliminar eles, tente lavar com água e detergente, com muito cuidado.

E para evitar que voltem, aplique uma solução com água, detergente e sabão em pó quinzenalmente.

Os pulgões também são pragas comuns nos cactos, são insetos pretos ou avermelhados que parecem piolhos. Podem ser eliminados com uso de inseticidas ou com alguma solução como a feita com detergente, alho ou fumo.

Para a solução de fumo você vai misturar 2 litros de água para cada 100 gramas de fumo ou pode diminuir a quantidade de ingredientes de forma proporcional. Essa é a receita mais simples.

Os pulgões e cochonilhas costumam deixar “feridas” na planta que servem como porta de entrada para vírus, bactérias e fungos. Fique atento (a) aos sinais de apodrecimento da planta.

O surgimento dessas pragas também indica que o solo está pobre, então melhore o substrato da planta para ficar mais resistente.

Cactos são venenosos?

Não. Apesar de mostrar uma aparência “agressiva”, não é um gênero tóxico e a comprovação disso é que algumas espécies são utilizadas na produção de alimentos, bebidas e cosméticos.

Mas, não devem ser feitos caminhos com cactos já que seus espinhos podem machucar causando bastante transtorno. Algumas espécies possuem espinhos menos resistentes, mas, podem causar muita coceira.

Curiosidades sobre cactos

  • Todo cacto é também uma suculenta, já que possui a capacidade de armazenar água;
  • No estado do Arizona, localizado nos Estados Unidos existe uma lei que proíbe a retirada de cactos da natureza, quem fizer isso pode ficar preso por até 25 anos;
  • A cidade de San Sebastián de Los Reyes, localizada na Espanha, ganhou em 2017 um jardim botânico composto majoritariamente por cactos;
  • O Jardim Botânico do Rio de Janeiro possui uma área dedicada aos cactos e outras espécies de suculentas e entre elas, estão 64 espécies ameaçadas de extinção;
  • Nas Ilhas Canárias existe um jardim botânico composto por 7 mil espécies de cactos.

Pronto! Agora que você já sabe tudo sobre cactos, me diga se esse artigo foi útil para você. Converse conosco através dos comentários.

IMPORTANTE: O conteúdo deste artigo foi atualizado em 11-10-2021 pela equipe do GPA Brasil. O Artigo acima ou qualquer conteúdo do site tem função apenas informativa e deve ser utilizada sempre com atenção.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *