Cultivar plantas é um ótimo hobbie e pode virar uma atividade remunerada. É a opção ideal para quem quer dar mais vida e aconchego para qualquer cômodo.

As cores e formatos existentes abrem um leque de possibilidades que podem reverter o quadro monótono do cômodo que você quer decorar.

Mesmo que sejam seres vivos, não são todas as plantas que exige muito dos cuidados, essa categoria é perfeita para quem está iniciando na prática.

No artigo a seguir, nós do GPA Brasil, vamos apresentar a Haworthia, planta de cultivo simples, prático e, que apresenta diversas espécies belíssimas que podem fazer parte da sua decoração.

Confira logo abaixo as características da planta e todos os cuidados necessários para mantê-la saudável.

Reino:Plantae
Classe:Liliopsida
Ordem:Asparagales
Gênero:Haworthia
Espécie:Pode variar

Informações gerais sobre o planta

Também conhecida como estrela-do-mar, a Haworthia é uma planta nativa do continente africano, especificamente, da África do Sul. No Brasil, é cultivada em praticamente em todas as regiões por serem plantas de cultivo bastante simples.

Esse nome, na verdade, diz respeito ao gênero que se divide em cerca de 90 espécies. São vegetais adaptados a clima quente e seco, ou seja, com pouca incidência de chuvas anuais.

Não cresce muito, é um vegetal de pequeno porte, pois, atingem até 20 centímetros. Quando se esticam muito é sinal de que estão procurando luz solar.

Sua estrutura lembra muito a forma como as pétalas de uma rosa ficam organizadas, mas, não tem muito em comum com essas flores. Seu caule é pequeno, subterrâneo e suas folhas são cápsulas aquosas.

Não são plantas que ficam floridas e consequentemente, não são frutíferas. São suculentas, ou seja, armazenam água em suas folhas para conseguirem suportar extensos períodos de estiagem.

Com certeza há uma espécie de estrela-do-mar que é mais conhecida e comercializada entre os brasileiros, sendo a Haworthia otzenii, suas folhas são curtas e meio arredondadas devido à água presente na parte interna, mas, existem diversas outras disponíveis para decoração.

São muito próximos da família dos cactos no quesito adaptação, ambos são suculentas e conseguem armazenar água em sua estrutura para sobreviverem na natureza a consideráveis períodos sem chuva

É uma ótima opção para presente devido à sua beleza, capacidade de adaptação e baixo custo. É possível encontrar vasos pequenos pelo valor de R$ 5,00.

Como dissemos anteriormente, existem diversas espécies disponíveis e separamos algumas para você conhecer melhor.

Haworthia limifolia: muito parecida com o formato da estrela-do-mar, possui folhas alongadas e pontudas. Geralmente apresenta as cores verde e amarelo.

Haworthia coarctata: possuem o formato que lembram rosas, mas, apresentam um formato alongado na cor verde com pequenas bolas brancas.

Haworthia decipiens: lembra muito uma flor de lótus, folhas curtas e próximas uma das outras, possui espinhos e apresenta cor verde.


Haworthia arachnoidea: o nome, que lembra aracnídeos, entrega um pouco sobre a estrutura dessa espécie. Possui formado arredondado e no exterior há uma espécie de teia de aranha que cobre toda a planta.

Haworthia cooperi: uma das mais conhecidas entre nós brasileiros, lembra um pequena rosa e suas folhas são cápsulas aquosas, já que é nessa parte que armazena água.

Haworthia fasciata: também conhecida como haworthia zebra, possui folhas alongadas, pontudas, verdes e com linhas brancas por toda a sua extensão.

Haworthia kingiana: essa é bastante exótica e de coloração diferente das demais, ainda que possua folhas alongadas e pontudas organizadas como um coral, as pontas dessas folhas são rosa.

Haworthia monticola: outra espécie exótica com relação às cores, as folhas são verdes neon e finalizadas com um laranja que lembra chamas.

 

Haworthia parksiana: possuem coloração verde-escura e se assemelham a pequenos arbustos rastejantes. Suas folhas são alongadas e pontudas.

Haworthia reticulata: também muito adquirida no Brasil, as folhas são pequenas e arredondadas de coloração verde-claro e com as pontas avermelhadas.

foto da suculenta
Abu Shawka, CC0, via Wikimedia Commons



Como cuidar do cacto

É uma planta muito fácil de cuidar, mas, isso não significa que você deva deixar no canto e não dar a devida atenção. Todo ser vivo requer de cuidados e com a plantas, não difere, ainda que sejam cactos.

Por estarmos acostumados a encontrar na natureza em lugares que parecem bastante negligenciados, fica fácil se confundir. Mas, na natureza, os cactos recebem água da chuva, luz solar e o solo em que estão possui os nutrientes adequados para se manterem saudáveis.

Separamos informações muito importantes para você que quer cultivar alguma espécie dessa família que possui tantas variedades, pois, apesar de apresentar estruturas diferentes, os cuidados não basicamente os mesmos.

Como regar sua Haworthia

Bom, devido aos lugares de onde são nativos, as haworthias, assim como as os cactos, não precisam de regas muito frequentes e sim, bastante espaçadas entre elas.

No verão e na primavera, devido ao calor e forte presença da luz do sol, o recomendado é que você molhe a planta de 1 a 3 vezes na semana, geralmente essa é a quantidade máxima, mas fique atento (a) aos sinais da planta.

Para saber se já é a hora de regar novamente, sinta a terra com o dedo ou espete um palito para ter certeza de que o solo está seco e pronto para receber mais água.

Em épocas mais frias como outono e inverno, que o ambiente fica mais frio e úmido, regas com espaço de 1 semana entre elas, serão o suficiente. Essas suculentas não gostam de umidade, por isso nessas épocas do ano você não vai precisar molhar muito

Ainda sobre não gostarem de umidade, distribua igualmente a água no solo para que a planta consiga absorver bem por todos os lados, cuidado para não confundir isso com deixar a terra encharcada, isso é extremamente prejudicial para a espécie e pode levar ao apodrecimento das raízes.

Além disso, umidade excessiva pode facilitar o surgimento de fungos, vírus e bactérias que podem ser difíceis ou impossíveis de tratar.

Sempre tenha cuidado se você usar pratos embaixo dos vasos, não deixe a água acumular neles, isso pode fazer com que a terra fique muito molhada e facilita o surgimento do mosquito-da-dengue, uma simples precaução pode evitar o seu adoecimento e da sua família.

Com a maioria das plantas o mais adequado é que as regas sejam feitas ao amanhecer ou ao anoitecer para que o calor do sol não faça a água evaporar mais rápido. Mas, com o cacto, regue de preferência nos momentos onde o sol esteja mais presente.

foto  da haworthia   espinhosa
SKsiddhartthan, CC BY-SA 4.0 https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0, via Wikimedia Commons

Como deve ser o solo

Como você já deve saber, as estrelas-do-mar são nativas de ambientes que se assemelham a climas desérticos, é uma planta muito difícil de morrer por falta de água.

Isso porque quando está precisando de água, começa a murchar uma folha por vez, então dá tempo de você molhar e consertar a situação.

Assim como nesses ambientes, o solo ideal para essa espécie deve ter boa drenagem, ou seja, garantir o escoamento eficiente da água que virá da rega.

Para isso ocorrer, é necessário que, caso estejam plantados em vaso, esses recipientes tenham furos na parte inferior da estrutura, fazendo com que a água tenha por onde sair. Isso evita o acúmulo e o encharcamento da terra.

Outra dica é colocar no vaso, com o substrato, uma quantidade de areia ou terra lavada, ou seja, terra que não contenha sal. E a areia vai fazer com que o solo fique bastante próximo do natural.

Para esse gênero, qualquer vaso é adequado, comumente são comercializadas em recipientes feitos em plástico. Fique atento (a) vasos cujo material faz com que a água evapore maus rápido, como barro, por exemplo.

O fertilizante utilizado é bastante simples e você pode facilmente encontrar em lojas especializadas, sejam elas online ou físicas. Mas o mais adequado é orgânico para que não seja informação demais para a planta. Existem substratos próprios para cactos e suculentas.

Você também pode utilizar adubos caseiros como borra de café, casca de banana e cascas de ovos para fornecer os nutrientes necessários para seu cacto. Para saber como usar, confira nosso artigo sobre como cuidar de plantas.

foto da haworthia em vaso
LFernandoHV, CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons

Qual o ambiente ideal

O ambiente adequado deve ser o mais iluminado possível! As espécies desse gênero amam luz solar. Então não coloque em ambientes escuros ou que ficam  úmidos como banheiro ou cozinha.

Os cactos são muito resistentes a ventanias, então podem ser cultivadas tranquilamente em jardins externos sem que haja a preocupação de o vento rasgar folhas, por exemplo.

Algumas espécies que você comprar, o vendedor vai recomendar que receba luz do sol por determinada quantidade de horas diariamente, mas, se você for acostumando a planta receba luz durante mais tempo, ela pode acostumar.

Por exemplo, durante essa semana você coloca 4 horas no sol, na próxima, coloca 5 horas. E gradualmente a planta vai se adaptando até conseguir ficar o dia todo no sol, caso seja da sua preferência.

Essas plantas são encontradas em tamanho mini, pois, assim podem ser comercializadas por um menor preço, você pode comprar e, se quiser que se cresça mais, basta mudar para um vaso mais espaçoso.

Dicas para decoração

Pelo faro de existirem várias formas e tamanhos disponíveis existem várias possibilidades de decoração que podem abrilhantar ainda mais sua casa ou ambiente de trabalho.

As que são em tamanho mini, por exemplo, possuem preços bastante acessíveis sendo encontradas espécies diferentes nessa modalidade, você pode misturar e colocá-los na janela, seja do lado interno ou externo.

É possível também colocar no jardim externo, misturado com outras plantas, sejam do mesmo gênero ou não, ou sozinhos de forma que fiquem destacados.

Os vasos podem ser colocados em mesas de centro ou em cima da mesa de jantar, há possibilidade de criar uma decoração mais colorida se o cacto estiver florido ou, neutra se estiver sem flor.

Em um mesmo vaso, que seja espaçoso, você pode mesclar  com outras espécies que demandem do mesmo cuidado, como cactos e algumas palmeiras, por exemplo, vai dar um contraste de formas e proporciona maior variedade na decoração.

Suas haworthias podem ficar em suportes adequados para plantas, em locais  altos ou mais baixos da sua casa. No painel da TV fica perfeito, pois, não arrisca ramificar e atrapalhar sua visão.

Escadas também são uma boa opção e podem ser organizados de acordo com sua criatividade. Uma dica é colocar nos degraus, e forem compridos ou, em suportes acima da escada.

Existem também diversas opções de vasos, feitos de materiais distintos e com designs diferentes, recipientes de plástico, vidro, barro, gesso, madeira, com cachepôs, texturizados, lisos, de palha, etc.

Lidando com as pragas

As cochonilhas são insetos que podem destruir sua planta, a aparência lembra um cascudo preto bem pequeno. Ou, você perceberá a presença de um pó branco. Para eliminar eles, tente lavar com água e detergente, com muito cuidado.

E para evitar que voltem, aplique uma solução com água, detergente e sabão em pó quinzenalmente.

Outro problema comum em suculentas é que elas podem adoecer devida à presença de fungos, costumam surgir quando as regas são excessivas e encharcam as raízes.

Os caracóis do gênero Helix também podem ser atraídos por haworthias, costumam aparecer em jardins e gostam de ambientes úmidos.

 Sempre os retire quando identificar, você pode colocar pedritas na terra para que o terreno fique íngreme e desagradável para esses animais.

foto da haworthia teia de araha
S Molteno, CC0, via Wikimedia Commons

Como realizar o replantio

Caso você não saiba, a terra que vem nas plantas é um ambiente para ser temporário, pois, em determinado momento, os nutrientes presentes naquele substrato vão ser totalmente consumido pela planta.

Por isso, é necessário fazer a troca da terra e sobre isso, não há dificuldade, vamos te ensinar em poucos passos.

  • Adquira o substrato adequado;
  • Retire a planta do vaso, se estiver presa, dê leves apertadas no recipiente;
  • Prepare o novo vaso ou o mesmo com a terra e adubo, caso não seja adubo líquido;
  • Massageie a raiz da planta para soltar e consiga absorver as novos nutrientes;
  • Plante no vaso e siga todos os cuidados para mantê-la saudável.

Simples não é? Agora é só colocar em prática!

Pronto! Agora que você já sabe tudo sobre cactos, me diga se esse artigo foi útil para você. Converse conosco através dos comentários.

Foto em destaque: Abu Shawka, CC0, via Wikimedia Commons

IMPORTANTE: O conteúdo deste artigo foi atualizado em 03-11-2021 pela equipe do GPA Brasil. O Artigo acima ou qualquer conteúdo do site tem função apenas informativa e deve ser utilizada sempre com atenção.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *