Você conhece o gato-do-deserto? (Em inglês: sand cat – gato de areia) Esta é uma espécie ainda pouco conhecida de felino e muitas pessoas nem mesmo fazem ideia da sua existência! Confira este artigo escrito pela equipe do GPA Brasil especialmente para você.

Esse texto é para os amantes de gatos de plantão e também para os que amam novas descobertas: Existe uma espécie de felino que parece muito com os domésticos!

E para derreter o coração dos que queriam que seus bichanos fossem filhotes para sempre, o animal , mesmo após adulto continua com aparência e brincadeiras de filhote.

No entanto, o gato-do-deserto é um animal com características bem diferentes – e não se trata apenas da sua aparência.

Vamos contar tudo que se sabe sobre este animal, suas principais características, de onde eles são, como se reproduzem e mais. Continue lendo para conhecer!

Características do gato-do-deserto

Esse felino que vou apresentar a você faz parte do gênero Felis (Felis margarita) e é o menor membro do gênero, seu tamanho máximo é de 80cm, medindo cabeça, corpo e calda.

Nome Cientifico: Felis margarita
Onde vive:Desertos da África
Alimentação: Lebres e serpentes
Hábitos:Noturnos
Reprodução:4 a 5 filhotes.
Domesticável:Não

Isso é a média de altura de uma mala grande de viagem ou de um colar comprido, ou seja, o gato-do-deserto é um animal bem pequeno se comparado a outros felinos silvestres.

Os maiores machos podem pesar até 3,5 kg, isso é o equivalente a três sacos e meio de arroz!

foto do gato do deserto com simbolo do GPA Brasil
TimVickers, Public domain, via Wikimedia Commons

Uma curiosidade muito interessante desta espécie é que ele é o único felino que é encontrado exclusivamente em áreas desérticas.

E isso se deve a sua capacidade de sobreviver a temperaturas bem extremas.

Os gatos-do-deserto possuem a cabeça larga e grande, de forma que não dá pra confundir com outra espécie.

Além disso, eles possuem orelhas baixas e compridas, que servem muito bem para que se protejam dos predadores e ajudam na caça, já que no deserto não existem muitos espaços com árvores e arbustos, então as orelhas baixas do nosso amigo ajuda na camuflagem também!

Faz com que eles consigam se esconder quase que totalmente atrás das rochas.

Esta é uma característica muito útil, já que em regiões desérticas o som não se propaga muito bem e, assim, eles conseguem se proteger com mais facilidade.

O tamanho das orelhas também permite que eles não percam muito calor, o que é útil já que o deserto é muito frio à noite.

Você também pode ler sobre o Gato persa!

A pelagem deste felino é cor de areia (alguma surpresa?), mais escura no peito e mais clara na barriga, o que permite uma maravilhosa camuflagem.

Com estas características, eles conseguem se camuflar muito bem dos seus predadores. Mas, por conta deste mesmo motivo, é muito difícil encontrar vídeos e fotos do animal em seu habitat natural, já que ele consegue se manter bem escondido e quase nunca deixa rastros por onde passa.)

O primeiro estudo feito em relação a esse carinha foi em 1993, mas durante a pesquisa descobriram que é muito difícil encontrar algum individuo da espécie.

foto de perto do Felis margarita
H. Zell, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons

Como eles iriam deixar rastros de pegada na areia? Fica muito complicado rastrear. Além disso, eles andam muito em pouco tempo.

As garras desse felino não são muito afiadas já que não existem muitos lugares para afiar. E também não são tão curvadas já que eles cavam muito para conseguir alimento e isso desgasta as garras.

No Deserto do Saara eles são conhecidos como “gatos que cavam buracos” e em meio a essa coloração também podem ter listras pretas nos membros inferiores e superiores, ou seja, nos braços e pernas do animal.

A calda dele também é cor de areia com listras pretas e as orelhas são avermelhadas com as pontas pretas. e diferente de outros felinos, o gato-do-deserto possui as patas totalmente cobertas por pelos.

Esta característica é útil para eles conseguirem se locomover bem no calor e frio intensos do seu habitat, já que esses pelos formam como se fossem almofadinhas nas patas, o que também os ajudam a caminhar pelas areias movediças do deserto.

Já deu para perceber que ele é bem diferenciado dos gatos comuns que tanto amamos, né?

Sua forma de defesa e alguns sons deixam eles bem parecidos com os gatos domésticos: rosnam e ronronam.

Onde o gato-do-deserto vive?

O nome desta espécie já entrega muito sobre de onde ela vem e qual é seu habitat natural, assim como suas características básicas.

Se você deseja encontrar gatos-do-deserto saiba que eles são naturais das regiões mais quentes do planeta, como o norte da África, Arábia, Ásia Central, e Paquistão.

Cabeça gato do deserto
TimVickers, Public domain, via Wikimedia Commons

Eles possuem uma grande capacidade de adaptação a variadas temperaturas, podendo sobreviver a temperaturas entre -5° e 52°, por isso eles conseguem se adaptar bem aos lugares desérticos. A estrutura do corpo ajuda muito mesmo.

Naturalmente, eles preferem ambientes bem secos e com pouca vegetação e são bem adaptados a esse tipo de ambiente, mas se escondem quando a temperatura está muito alta.

Também preferem terrenos planos ou ondulados e como para eles é muito importante cavar, não são encontrados em terrenos compactados, que são mais duros.

Hábitos e alimentação

Como a maioria dos felinos, possui hábitos preferentemente noturnos, e sua visão é adaptada para isso.

Por isso, ele passa a maior parte do dia se protegendo entre rochas e também contam com sua habilidade de cavar para criar abrigos contra que os protejam das condições climática

Além de cavar suas próprias casas eles também melhoram casas de roedores e tornam bons lugares para se protegerem do calor intenso durante o dia.

Eles sempre observam bem o ambiente antes de entrarem na toca, para não correrem o risco de serem seguidos. Muito inteligentes!

felis margarita em pé
TimVickers, Public domain, via Wikimedia Commons

É um animal carnívoro, se alimentando principalmente de roedores, lebres e serpentes (que podem ser víboras venenosas, são destemidos!), lagartos, aranhas e insetos, mas como um dia é da caça e outro do caçador, nosso felino (agora amado) também é presa de alguns animais como chacais e aves, especialmente as corujas, mochos e murucututu.

Eles caçam por necessidade e podem ficar semanas sem beber água, o que isso acontece graças as presas que mantém estável sua umidade corporal. Outro fator muito importante para um animal que vive no deserto.

Isso mesmo que você leu! Eles retiram a umidade que precisam dos alimentos. Isso que é adaptação!

Como os outros felinos costumam fazer, os gatos de areia caçam abaixados no solo e usando sua audição perfeita para encontrar suas presas.

Mas como se alimenta de animais e insetos rasteiros que vivem sob o solo, assim que ouvem possíveis presas começam a cavar muito rápido para que consiga ver o animal e capturá-lo.

 Logo após a captura, podem cobrir o animal com areia e voltar para se alimentar depois. Ou seja, eles são bem estrategistas!

No Smithsonian’s Nacional Zoo, localizado em Washington DC (Estados Unidos da América) eles se alimentam de ratos, ossos e carne de costela

Reprodução

Os gatos-do-deserto são bastante solitários, mas não são territorialistas.  Eles costumam revezar compartilhando a mesma toca, mas nunca em simultâneo.

A época da reprodução varia de uma região para outra. Por exemplo, os gatos-do-deserto que habitam no Saara começam a copulação em janeiro e terminam em abril. Já no Pasaquistão a temporada vai de setembro a outubro.

Dessa forma, não existe uma época específica em que a reprodução da espécie aconteça ao redor de todo o mundo.

Outro fator importante sobre a reprodução dessa espécie é que ela pode se reproduzir mais de uma vez ao ano.

Para que ela aconteça, os machos produzem um som específico para chamar a atenção das fêmeas e aí que acontece o date. Esse som parece o latido de um cachorro pequeno ainda que seja bem alto.

A gestação dura de 59 a 67 dias (de um mês e meio a dois meses e alguns dias), e eles costumam pesar pouco mais de 39 gramas ao nascer.

Geralmente as fêmeas têm de 4 a 5 filhotinhos nascidos em uma única gestação, e eles crescem muito rápido.

Em média, de 6 a 8 meses já são independentes. Com aproximadamente um ano e dois meses já podem começar a reprodução da espécie.

Os pesquisadores acreditam que a escolha da época para reprodução se aconteça conforme o clima e os recursos disponíveis naquela região em que eles habitam.

Por isso mesmo que não existe uma época específica para que a reprodução aconteça, dependendo do lugar.

Conservação da espécie

As populações do gato-do-deserto são muito pequenas. E a perda do lugar onde mora é considerada uma das principais ameaças para a existência desse animal. Isso se deve ao fato de que as áreas desérticas estão sendo ocupadas por atividades humanas.

Outro fator que também ameaça a existência do nosso amigo é a competição com gatos domésticos e cachorros que lutam pelo mesmo alimento. Além disso, também transmitem doenças que podem matar os gatos-do-deserto.

No Irã eles são mortos por cães pastores e também podem cair em armadilhas colocadas para outros animais.

Na Síria eles também correm risco! Por causa do ambiente horrível das guerras, as dunas de areia estão sendo destruídas. E o que são as dunas? A moradia desses felinos.

Na Argélia, que fica localizada na África eles são ladrões de frango. Mas podemos julgar?

Eles fazem isso para sobreviver. Os moradores não se chateiam e nem matam devido ao respeito religioso que tem por esses animais.

A História diz que eles eram companheiros do profeta Maomé e de sua filha.

Existe caça ao gato-do-deserto ?

Sim, existe a caça ao gato-do-deserto , principalmente por ser um animal diferenciado, existe tanto a caça esportiva, como também a caça com a finalidade de produzir peças com seu coro e pelos, por isso esse animal corre sérios riscos de entrar em extinção.

A caça a essa espécie de felino é proibida em diversos países, como na Argélia, Irã, Israel, Cazaquistão, a Mauritânia, Níger, Paquistão e Tunísia.

Mas muitos outros países não os protegem de tamanha perversidade ameaçando a existência da espécie.

Posso comprar um gato-do-deserto ?

Para a tristeza de uns e felicidade de outros a resposta é não, já que embora esta espécie se pareça com a do gato doméstico e seja até mesmo menor do que os gatos comuns que já conhecemos e amamos, possuem grandes diferenças de comportamento e não serve para ser domesticado como o gato comum.

O gato-do-deserto pode sobreviver até 13 anos se for criado em cativeiro, mas devido ao lugar de origem do animal (lugar seco; deserto) ele pode desenvolver muitas infecções respiratórias se crescer em um ambiente diferente.

E acredite: essa é a principal causa da morte dos gatos adultos criados longe de áreas desérticas.

Por isso há a necessidade de que eles sejam mantidos em ambientes onde a umidade e a temperatura não mude muito.

Na natureza o tempo de vida ainda é desconhecido já que muitos fatores podem influenciar, como predadores ou falta de alimentos.

Mas de todo modo, não é possível criar um gato-do-deserto em casa, mesmo que você seja apaixonado por espécies raras e diferentes de felinos.

E ai, gostou da matéria?  Já conhecia o animal ou foi uma novidade para você? Espero que tenha gostado da nossa aventura! Me responda nos comentários.

Imagens via: Syrio, CC BY-SA 4.0 https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0, via Wikimedia Commons

IMPORTANTE: O conteúdo deste artigo foi atualizado em 03-08-2021 pela equipe do GPA Brasil. O Artigo acima ou qualquer conteúdo do site tem função apenas informativa e deve ser utilizada sempre com atenção.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *