PIOLHO DE COBRA

diplópodes

Piolho de cobra é aquele inseto que sempre aparece nos jardins em dias de chuva ou dias úmidos.

Algumas pessoas têm nojo, outras possuem medo e outras levam um susto ao se deparar com o pequeno inseto. Mas afinal é um inseto mesmo?

Analisaremos a seguir todas as peculiaridades sobre o piolho de cobra.

O QUE É O PIOLHO DE COBRA?

O piolho de cobra é um inseto definido como uma miriápode, ou seja, possui “milhares de pernas”.

E nessa família é possível encontrar dois tipos de insetos; o piolho de cobra e a centopeia, sendo que apenas a centopeia é venenosa, pois o piolho de cobra não possui nas suas glândulas, veneno.piolho de cobra

Ou seja, se encontrar com algum por aí, não fique com medo, pois não será ofensivo a sua saúde.

Ele não é venenoso, porém curiosamente é um parente bem distante de outros animais que são extremamente perigosos, como aranhas, escorpiões, lacraias e etc.

Na hora da sua reprodução, algumas espécies jogam um líquido colorido que liberam do próprio corpo sobre os ovos com o intuito de defende-los.

Essa mesma tinta é expelida se você tentar manusear o inseto.

Além de ser bem difícil de tirar, já que em algumas pessoas essa tinta permanece por dois ou três dias, mas não se preocupe que não causa nenhum efeito ao organismo como alergia, queimadura ou coisas do tipo.

Também criamos um vídeo sobre o inseto:

vídeo sobre piolho de cobra

CARACTERÍSTICAS DO PIOLHO DE COBRA

Da classe dos Diplópodes, os piolhos de cobra são animais que possuem dois pares de patas em cada parte do seu corpo. Os recordistas até hoje apresentaram o máximo de 750 patas em todo seu segmento.

Geralmente eles vivem sobre troncos, folhas ou pedras, mas é possível vê-los também dentro de residências, pois eles procuram lugares úmidos para se instalarem.

O seu caminhar é lento e devagar pois é ligado à sua alimentação que é a base de matéria orgânica morta, seja vegetal ou animal.

piolho cobra

Se sentirem ameaçados se enrolam formando um espiral que expele um odor forte a base de iodo e cianeto de hidrogênio.

E sua presença dentro das residências é consequência do excesso de irrigação nas áreas de jardins da casa.

E sua sazonalidade é marcante, e aparece sempre em períodos quentes ou aqueles mais chuvosos.

Então, uma dica para retirar os piolhos de cobra da sua casa; diminua a irrigação e frequência de água dos jardins ou faça uma dedetização que pode ajudar e muito a diminuir a entrada desses pequenos animais.

Além de ter bastante atenção com o acúmulo de lixo doméstico que é um dos fatores para fazer uma região ficar infestada.

Mas o grande mito em relação ao piolho de cobra é que ele não tem absolutamente nada a ver com a cobra.

Esse nome é dito assim apenas por costumes regionais e pelo inseto ser bastante articulado e se encolher quando se sente ameaçado. São esses os únicos pontos em comum.

Qual o seu Predador Natural?

O predador natural do Piolho de Cobra são lagartos, ratos e muitos outro animais selvagens que se alimentam de insetos. 

Não só ela, como a galinha também acaba com todos no seu jardim.

Nessa lista podemos também citar algumas especies de pássaros!

Apesar de ser um animal que não faz nenhum mal para o ser humano, muitos querem acabar com eles em seu quintal.

Um ótima forma de acabar com o piolho de cobra é borrifar um pouco de vinagre em cima deles.

Porém este é um inseto que não apresenta qualquer tipo de ameaça ao ser humano, se não se incomoda com ele, deixe o em paz.

FORMAÇÃO CIENTÍFICA DO PIOLHO DE COBRA

Diplópode é um organismo da classe dos artrópodes e que são conhecidos vulgarmente em outros países como Portugal por maria-cafés.

Pois bem, o piolho de cobra é o mais conhecido da classe dos diplópodes.

Eles são animais de natureza herbívora e detritívora, ou seja, possuem como alimentos matérias mortas.

A sua tática para se enrolar quando se sentem ameaçados é para se fingirem de mortos. E a substância expelida pelo seu corpo serve como um repelente para os predadores.

Em relação ao corpo desses diplópodes, a sua divisão é formada por cabeça, um pequeno tórax e um longo abdômen.

Além de ser cilíndrico, esses insetos também apresentam pares de antenas, dois pares de patas por segmento (em regra vária de 13 pares a 45 pares), olhos simples, um sistema respiratório traqueal e uma reprodução assexuada.

E embaixo da cabeça deles apenas contem um aparelho mastigador, pois em regra apenas consomem vegetais de modo geral, verduras e resto de materiais em decomposição.

No passado, os piolhos de cobra pertenciam a classe dos Miriápodes, junto com os quilópodes, porém não são mais colocados nesse tipo de classificação.

A diferença é que os quilópodes apresentam forcípulas que inoculam veneno, são carnívoros, achatados e possuem apenas 1 par de pernas por segmento, o que é totalmente diferente dos diplópodes.

No que se diz respeito a subclasses, os diplópodes possuem 5 que são os:

  • Penicillata
  • Eugnatha
  • Colobognatha
  • Arthropleuridea
  • Clilognatha.

Finalizando, é possível que se encontre diferentes tipos de piolhos de cobras por aí e cada um pertence a um grupo diferente, e em cada grupo possuem um tamanho e um tipo específico. Ou seja, você nunca saberá qual é o tipo que está observando.

Ficou alguma dúvida sobre Piolho de Cobra?

Deixe seu comentário abaixo, ou mande uma mensagem diretamente para a GPA BRASIL

Ana Fernandes

Curitibense, apaixonada por animais, tutora do Theo e defensora ativa da natureza. Criou o Grupo de Proteção Ambiental Brasil - GPA como forma de compartilhar suas informações com o mundo.
Ana Fernandes

10 comentários

    • gpabrasiladm Autor do postResponder

      Olá Dalila! Já estamos atualizando o artigo! Daqui pro final da semana estará completo!

    • gpabrasiladm Autor do postResponder

      Olá Lúcia! Já estou atualizando o artigo! Volta aqui depois que já estará respondido.

  1. João Carlos M.Montoro Responder

    Deixa eu ver se entendi: então, na realidade não são insetos, pois os mesmos possuem três pares de patas articuladas e o corpo dividido em três segmentos: Cabeça-tórax e abdome…

  2. Marco Reis Responder

    Em casa aparecem muitos. Pego com a mão e os coloco de volta no jardim. Nunca senti algum odor ou fiquei manchado pela substância. Além disso prestam serviço à natureza

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *