O temido Baiacu pode ser uma deliciosa iguaria e tem poder medicinal

Todos os anos, o peixe Baiacu aparece na lista dos que mais fazem vítimas, a maioria não sobrevive às toxinas e morrem.

Por isso, devido aos altos índices de acidentes, os banhistas são alertados sobre os perigos de mergulhar em áreas em que o Baiacu for identificado dentre a população de animais no mar.

O mesmo aviso se aplica para quem mergulha em água doce, nos rios também pode ter Baiacu.

Até agora o que se sabe é que 45 espécies vivem nesse ambiente e se reproduz com muita facilidade.

Em algumas regiões, esse peixe é conhecido como peixe sapo do mar ou peixe balão

Dentre outros nomes que a população local passa a chamar.

A questão é que independente do nome é recomendável que banhistas e mergulhadores se mantenham afastados do Baiacu

Caso vejam um por perto quando estiverem dentro d’água, pois os riscos não compensam a curiosidade.

Leia também sobre outros animais marinhos.

A maior concentração de baiacu se encontra na América do Sul.

Equivocadamente muitas pessoas pensam que no Brasil não há riscos de envenenamento por nunca ter visto um de perto

Só que essa informação não procede com a realidade, uma vez que foram catalogadas 150 espécies do peixe Baiacu

Todos com capacidade similar de inflar diante do que podem considerar como perigo

Além de oferecer os mesmos riscos ao homem por meio da toxina que libera como defesa e pode até matar.

Em alguns casos, quando a vítima do peixe não vai a óbito pode ficar paralisada com graves sequelas por toda a vida.

Para se ter uma ideia mais clara sobre o perigo que o peixe Baiacu pode representar quando for tocado

Saiba que ele, uma espécie pequena que em média tem 60 centímetros, é capaz de matar cerca de 30 pessoas.

A neurotoxina encontrada nesse peixe, Tetrodotoxina, é considerada mais perigosa do que o cianeto.

Essas informações sobre o Baiacu não tem como propósito causar alarme, mas, sim atenção quanto aos perigos

Pois o peixe tem uma aparência pouco assustadora

Chega até ser relativamente simpático, mas não se engane ele pode ser altamente mortal.

veneno baiacu

O veneno do Baiacu

É comum dizer que o Baiacu é um peixe venenoso

O que poderia ser até uma injustiça se não fosso uma maneira de chamar a atenção para uma explicação básica sem ter de se aprofundar no assunto.

Na verdade o peixe não produz o veneno, ou melhor, a temível toxina.

Ele apenas recebe a Tetrodotoxina das bactérias que se alojam nele, seguindo para a pele e vísceras, por isso é nocivo quando tocado.

Criação de Baiacu em aquário

Nem todos se assustam com o Baiacu e até o acham um peixe simpático por ter um formato arredondado e passam a criar em aquários.

Mas para isso é importante oferecer ao animal condições de vida seguindo orientações corretas de alimentação, limpeza e tamanho do aquário

Que deve ter capacidade de no mínimo 100 litros, considerando que o tamanho do peixe seja de aproximadamente 20 centímetros.

Antes de ter Baiacu em aquário, por questões de segurança, os interessados devem consultar profissionais competentes

Para que possam oferecer todas as informações necessárias para a preservação do animal

Como também para a segurança do responsável, por conta dos perigos de contaminação, uma vez que tenha contato direto com o peixe.

Baiacu na culinária

Apesar de se um peixe tão temido, o Baiacu pode ser uma deliciosa iguaria quando preparado por profissionais competentes

Que sabem exatamente como fazer a limpeza do peixe sem oferecer danos à saúde.

No Japão essa iguaria de peixe baiacu é muito comum, os chefs sabem como manusear e limpar sem que a bolsa onde fica alojada a toxina se rompa.

Quando isso acontece, o peixe não pode ser aproveitado

Pois a substância tóxica, veneno, se espalha rapidamente por todo o alimento causando intoxicação severa para quem comer.

Para preparar Baiacu, os cozinheiros precisam ser treinados como especialistas e receber certificação antes de começar a oferecer a iguaria.

Essa exigência como norma de saúde, deixa claro que se trata de um peixe cujo mínimo descuido pode levar uma pessoa a morte.

Então mesmo que alguém saiba ou tenha noções de como cozinhar o Baiacu, não deve tentar sem a devida supervisão.

Assim como muitas espécies de peixes

É possível preparar uma deliciosa moqueca com Baiacu e leite de coco com a espécie menos perigosa, que é a baiacu-arara.

Outros pratos também podem ser preparados

Lembrando que se trata de um peixe, então pode ser cozido, assado ou frito em postas.

A variedade dos pratos depende da inspiração e dos dotes culinários de cada pessoa ou região.

São diversas receitas de modo de preparo do Baiacu e acompanhamento

Pode ser ao molho gorgonzola, com camarão e banana da terra, filé empanado entre tantas outras opções.

baiacu veneno e iguaria

Pesquisas sobre a toxina do Baiacu para uso terapêutico

Até o momento, os estudos sobre os benefícios que a toxina Tetrodotoxina talvez possa oferecer no uso terapêutico, ainda não está muito clara

Mas se pode considerar um avanço a atenção dos pesquisadores para a possibilidade de desenvolver substâncias medicamentosas a partir do veneno do Baiacu.

A motivação dos estudos é conseguir produzir analgésico com ação mais potente

Capaz de combater ou reduzir significativamente, quadros de dor intensa e prolongada como as que são provocadas por dores ósseas entre outras.

Outro estudo que está sendo realizado com a Tetrodotoxina é voltado para problemas respiratórios, na condição de sedativo.

Essas pesquisas mostram o quanto à substância extraída do peixe Baiacu poderá ser de grande utilidade para a saúde

No futuro é provável que novas pesquisas sejam realizadas para outros tipos de medicamentos.

O que mais chama atenção dos pesquisadores é o alto poder do efeito que o veneno do peixe consegue produzir, que é rápido e até letal

Especialmente para quem consome Baiacu quando não é preparado por profissionais qualificados.

 

Deixe uma resposta